Carta Aberta da Atriz Katia D’Angelo para Eduardo Paes

Confira trechos da carta aberta da atriz Katia D’Angelo para o prefeito Eduardo Paes sobre a derrubada da sua casa, que possui há mais de 50 anos no Canal do Marapendi.

A atriz Katia D'Angelo

A atriz Katia D'Angelo

Katia D’Angelo, 57 anos, é atriz desempregada. Seu pai, 91 anos,  é aposentado e ganha um salário. Veja aqui um breve histório da atriz.

“Propus doar ao município a casa onde moro e trabalho para o “Centrinho Cultural do Canal” às margens do Marapendi, na Barra, e acabei vítima das minhas boas intenções. Meu projeto foi indicado por Cesar Maia e Ricardo Macieira como de utilidade, onde num raio de 10 quilômetros nada acontecia. O sonho virou tormento. Eduardo Paes quer demolir minha casa e das famílias que moram há Cinquenta Anos no local, sem indenização, com o argumento de estarmos em área ambiental.”

“Que estado é esse que nos vêem como inimigos e não pessoas a quem deve tutelar? Não somos Invasores! Não somos ricos!!!”

“Jamais a prefeitura procurou quem de fato possuía a terra e nela morava para um humano e justo acordo. Nunca houve proposta de remoção para local próximo como manda a lei.”

“Eu Desafio!! 80% dos condomínios da Barra têm terrenos invadidos e ninguém mexe com eles. Temos fossa e sumidouro, poluímos o canal muito menos que os condomínios de luxo que nos rodeiam.”

“Poderia citar aqui mais de vinte [favelas] só na Barra, Recreio, Jacarepaguá e São Conrado, onde, contraditoriamente nosso Prefeito Eduardo Paes quer fazer o modelo de sua atuação.”

“Que lei é essa que para uns pode para outros não pode!!!??? Que Gestão será a sua Eduardo? Que começa assim? Com tanta injustiça? Uns em detrimento de outros?”

“Quer que eu peça clemência. Eu peço!”

“Somos oito famílias que vivem no local há mais de cinqüenta anos, trabalhadores desempregados como eu e velhinhos que vivem com um salário de aposentadoria como meu pai. É uma covardia dormir na mansão da Gávea Pequena, acordar e vir demolir o lar de pessoas simples e honestas.

“Precisamos de um prefeito, inteligente dinâmico, moderno humano, sensível e culto, sem o ranço do populismo calcado em uma legislação hipócrita, inadequada e fora da realidade.”

“Essa é boa oportunidade de repensar as verdadeiras necessidades da nossa cidade. Ninguém mora ilegal por que quer, sem necessidade! É preciso separar o joio do trigo, os especuladores e os que precisam de casa para morar.”

“Parem de nos torturar! Ajudem-nos! Meu coração sangrando agradece!”

Veja a íntegra da carta no Globo:

About these ads

120 respostas para Carta Aberta da Atriz Katia D’Angelo para Eduardo Paes

  1. È, parece que estamos sob o império de terror. Acho que é preciso pensar bem antes de atitudes que possam prejudicar pessoas inocewntes.

  2. REGINA disse:

    CONHECÍ KATIA QUANDO EU TINHA MEUS 23 ANOS E HOJE ESTOU COM 48. ESTIVE NA SUA CASA, JUNTO COM A ESMERALDA BARROS. ACHO UM ABSURDO, SE O PREFEITO QUER DEMOLIR…FAVELA É O QUE NÃO FALTA!

  3. João disse:

    24/07/08 – Candidato da Especulação Imobiliária

    UM OUTRO -GAROTINHO- APARECE NA POLÍTICA DO RIO!
    Que acabar com a secretaria de prevenção às drogas, deixando alunos e jovens sem orientação a mercê do tráfico de drogas.
    Quer acabar com a secretaria das Ouvidorias -o maior e mais qualificado sistema do Brasil- que estimula a participação.
    Quer acabar com a secretaria de proteção aos idosos (qualidade de vida) e abandoná-los à própria sorte.
    Quer acabar com a secretaria de Defesa do Patrimônio. Bem, aqui sabemos por quê. Ele é o candidato da especulação imobiliária. O PMDB queria vender o quartel da PM do Leblon. Queria vender o parquinho da Cedae do Posto 6. Queria vender a delegacia do Leblon. E outras mais. A prefeitura bloqueou tudo. Agora o que ele quer é acabar com as APACs e escancarar as portas à especulação imobiliária em toda a zona sul. Mas ele tem antecedentes que levaram a sua saída do PFL de então, ao aplicar o “cone de sombras sobre as praias” e gerar uma estranha troca em São Conrado. Quem sabe por isso sua campanha já tem cinco vezes o custo de todas as demais campanhas somadas?
    Quem é? É o Eduardo GAROTINHO Paes do PMDB de sempre. Não engana mais ninguém. Por isso abandonou o PSDB para participar de um jogo -digamos- mais flexível.

  4. julio disse:

    PROTESTO CONTRA LEILÃO

    Cerca de 150 artistas e produtores, como Aderbal Freire-Filho, Edwin Luisi, Aracy Cardoso, Nicete Bruno, Paulo Goulart e Sergio Ricardo, reuniram-se nesta quinta-feira à tarde no Teatro Casa Grande, no Leblon, para protestar contra o leilão dos cinco andares acima do teatro, que será realizado pelo estado, proprietário do espaço, na próxima terça-feira, dia 27.
    Segundo os artistas, um decreto legislativo de 1994, aprovado pela Alerj, teria reservado os andares para um centro cultural. O governo estadual, no entanto, afirma que esse foi um acordo informal, que não teria sido formalizado. Com o leilão, o governo vai vender os cinco andares à iniciativa privada, por um valor mínimo de R$ 75 milhões.
    No fim da manifestação, o grupo de artistas formou uma comissão que vai tentar marcar uma audiência com o governardor Sergio Cabral, para tentar suspender o leilão.
    Também estavam na manifestação – que era para ocorrer dentro dos próprios andares, mas seu acesso teria sido impedido pelo governo, segundo os artistas – os vereadores Eliomar Coelho (PSOL) e Aspásia Camargo (PV), o ex-senador Saturnino Braga, o presidente da Associação Brasileira de Imprensa, Maurício Azêdo, e representantes da OAB-RJ.
    http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2009/01/22/artistas-protestam-contra-venda-de-andares-acima-do-teatro-casa-grande-754103073.asp

  5. Andre Gustavo Milward disse:

    Pelo visto e já comentei que a nova prefeitura é um verdadeiro balão de ensaio da incompetencia, o erro e acerto ( mais erros claro). Falta a competencia e a qualificação administrativa. Atacar a classe média é facil, por que essa atuação de choque de ordem não bate as portas de grandes FAVELAS … Ou ditas comunidades que são antros de proliferação de trafico de drogas e outros crimes ediondos … ? PQ não Prefeito ? Ai nãp pode né ? Tem que favorecer os de sempre e atuar covardemente contra cidadãos que pouco interferem e até e muito fazem por questões que o Sr. pouco se importa: Cultura, que aliás o sr. não deve nem saber por onde começa apesar da sua (pseudo) formação. Como já disse anteriormente, COMEÇOU MUITO MAL !

  6. Sonia Soares disse:

    Concordo com o comentário do Andre Gustavo. Pq, o Prefeito e a sua equipe, mal estruturada, não busca o “choque de ordem” dentro das favelas?
    Derrubem os barracos, quando muitos se transfomaram em verdadeiras mansões e reduto de traficantes.
    Tem que ser muito macho pra entrar e varrer a sujeira existente nesses locais.
    Pago IPTU carissimo e tenho o desprazer de vivenciar a paisagem bizarra, em plena zona sul, cercando a população.
    Pq. ele não pensa em construir casas populares, acrescentando estrutura e transportar os moradores de favelas para locais seguros e satisfatórios a todos.
    Sinto pela Katia D’Angelo e os demais moradores das margens do Marapendi.
    Katia, não peça clemência, ele desconhece essa palavra. Lute! Vá a justiça, vcs tem direitos adquiridos, afinal são mais de 50 anos. USUCAPIÃO é o nome da ação. Contratem um advogado, a Defensoria Pública existe, lembre-se. Garantam os seus direitos em risco através de uma ação emergencial. Pesquisem, encontrarão a saída.
    Desejo muita sorte !

  7. roniveloso.hl@gmail.com disse:

    katia
    muito bem colocado seus argumentos…
    conte comiga p/ tudo … quero ver ele tirar os granfinos do pedra de itauna que tambem seria reserva.
    bjs

  8. Gustavo disse:

    Gente quando uma coisa não esta certa ,não esta certa essa Sra Dángelo tem a casa construída no meio da rua.
    Não se pode ser tão cego é só pegar um mapa da região.

  9. Katia D'ngelo disse:

    É PRECISO DIZER QUE O QUE SE ESTÁ DISCUTINDO NA JUSTIÇA É O MEU DIREITO DE JUSTIÇA. A PREFEITURA CONSIDERA QUE UMA CARTA MINHA AO CESAR MAIA TENHA SIDO A MINHA DEFESA.EM UM PAIS DEMOCRATICO,NÃO PRECISAMOS IMPLORAR PARA TER O DIREITO DE SE DEFENDER.
    E quanto ao Gustavo e seu comentario ,primeiro se informe sobre docs e não sobre fofocas aleatorias e levianas.

    A CASA NÃO ESTÁ,ABSOLUTAMENTE NO MEIO DA RUA.

    A rua foi projetada 22 anos depois que a casa JÁ existia.E o lote estava inserido em terreno de clube, loteado irregulamente pela Cia Litorania de Imoveis.
    Pela Lei Organiga do Municipio os clubes não podiam ser loteados e a área da Av Litorania, pelo PLANO DO LUCIO COSTA, estava reservada
    à construções uni familiares projetadas para VERANEO,como a minha.
    Se não pagamos IPTU foi por culpa da propria prefeitura que não nos deixou cadastrar o imóvel.
    As casas vizinhas somente a cinco anos atras conseguiram o RGI.
    Tem muito condominio na Barra que ainda não tem o RGI.
    Se me derem espaço na justiça para entrar com as provas que é o que pretendo vocês verão o traçado da estrada e a casa as suas margens quase dentro da água.Portanto o CENTRINHO CULTURAL DO CANAL poderia ser inaugurado sem impedir a construção da rua.

    TENHO TODOS OS DOCUMENTOS PARA PROVAR A VERDADE
    E O NOSSO DIREITO DE INDENIZAÇÃO, SE EM ULTIMO CASO EDUARDO NÃO NOS PERMITIR ABRIR O ESPAÇO CULTURAL AO PUBLICO.
    TRABALHAMOS COM CULTURA NO LOCAL HA MAIS DE 30 ANOS.
    obrigada- Katia D’Angelo

  10. Sonia Soares disse:

    Oi, Kátia, boa noite ! Como disse na msg anterior, vcs não tem o que temer. Lutar pelo que se acha justo e de direito sempre vale a pena. Principalmente, tratando-se de moradias construídas há mais de 50 anos, qdo o USUCAPIÃO não precisa tanto. Compile sua documentação, suas testemunhas – existe a necessidade de confrontar – e manda em cima dele pesado.
    Quem ele pensa que é? Lembre-se sempre ELE ESTÁ PREFEITO, NÃO É PREFEITO e, pelo andar da carruagem, não termina esse mandato.
    Repito não tenha medo, não peça clemência a uma pessoa completamente desprovida de humanidade.
    Sabe o que é isso? Especulação imobiliária. Vai comer solto por aqui.
    VÁ EM FRENTE ! OS BUDISTAS ORAM POR VCS.
    abs e aproveite o carnaval para relaxar um pouco. Nada acontece por acaso.

  11. Gustavo disse:

    Sem comentarios

  12. Katia D'Angeo disse:

    NAMIORANGUE….. OBRIGADA Sonia. Luz pra todos!

  13. Katia D'Angelo disse:

    consertando

  14. Sonia Soares disse:

    Kátia, grata !
    A prática da fé é senão o corajoso ato de avançar com espírito de leão nas horas cruciais ou nos momentos que surgem as dificuldades. Vá em frente !
    NAM-MYOHO-RENGUE-KYO
    Meu carinho,
    Sonia

  15. taslene disse:

    Querida Katia,
    Cadê o seu dinheiro na epoca de sacanagem….
    De que adiantou as suas fotos peladas e agora voce paga por isso!
    Lamento e força espiritual.

  16. Pulguinha. disse:

    LAMENTAVEL.

  17. Sonia Soares disse:

    Que absurdo ! Que comentário grosseiro e sem sentido.
    O fato da Katia ser ou não atriz não muda a situação.
    O que ela fez na vida só diz respeito a ela e mais ninguém.
    As pessoas deveriam ser mais delicadas e solidárias com o problema e PENSAR antes de escrever bobagens.

  18. Paezinho disse:

    Acho que de nada adiantou esses comentários todos…
    A casa caiu!

  19. Sonia Soares disse:

    Pode vir td abaixo.
    Mas os comentários foram grosseiros

  20. Jerusa disse:

    Como a vida dá voltas , pois é né Kátia , vc que já me fez sofrer horrores como sua vizinha , já abusou do meu filho (tudo comprovado na justiça, como vc costuma dizer), está pagando pelo mal que nós cousou, a justiça falha , mas não tarda, tive que me mudar da casa que era do lado da sua por intolerancia, mas a vida da voltas , nunca desejei mal a ninguem na vida , mas a vc estou como se tivesse tirado um peso de cima de mim, e pare de ficar contando historinhas , nós sabemos de toda a verdade , deixe de ser falsa e tenha mais conciencia sobre os outros moradores, espero que receba este email . xau.

  21. Rodrigo Q. Salvatore disse:

    Jerusa,
    abusou do seu filho foi ótimo!!!

  22. Cristiane Nunes disse:

    Assim como a Jerusa, tamb fui vizinha da “santa criatura”, Dona Kátia! Um espírito tão iluminado, que só fez coisas boas aos seus vizinhos e inquilinos. Comigo, por exemplo, a “querida” Kátia, ateou fogo na minha varanda, queimando a tela de proteção, “afanou” meu cartão de crédito, gastando em torno de R$2.000,00 na época, jogou tinta azul no carro branco do meu marido, e tantas outras douçuras (tudo comprovado na justiça, como gosta de dizer)!! Alugava suas casas e cometia verdadeiras “sacanagens” com seus inquilinos. Aquele condomínio era constantemente “visitado” pelos policiais da DP da Barra. Inclusive, ela era figurinha conhecida na delegacia (chegou a passar uma noite na cadeia – o que foi bem pouco!!!). Durante anos sempre recebemos diversos comunicados da prefeitura de que tratava-se de ocupação indevida. Não foi por falta de aviso!! Quem defende essa mulher, é porque não a conhece de verdade!!!! A justiça realmente tarda, mas não falha!! Seja ela humana, católica ou budista!!
    Aqui se faz, aqui se paga!!!!
    Eduardo Paes… sou sua fã de carteirinha!!!!!!

  23. Sonia Soares disse:

    Jogar tinta azul em carro branco foi demais.
    Mas ser fã de carteirinha do Dudu Paes dá pra perceber.

  24. Caca disse:

    A Lei Mística da Causa e Efeito é implacável.

    “Mesmo que estude o Budismo se não perceber a natureza de sua própria vida, não pode-se afastar do sofrimento da vida e morte. Se procura o caminho fora de si mesmo e tenta praticar as mais variadas formas de exercícios e de bondade, isto é igual a um pobre que calcula dia e noite a fortuna do seu vizinho e não obtém um tostão sequer para si.”
    (Nitiren Daishonin)

    “De acordo com o Sutra, se a mente das pessoas é impura, sua terra também será impura. Pelo contrário, se suas mentes são puras, assim será sua terra. Em uma palavra não há duas terras pura e impura ao mesmo tempo. A diferença está na mente, boa ou má, das pessoas.”
    (Nitiren Daishonin)

    “Maus amigos são aqueles que falando candidamente, insinuando, bajulando e fazendo habilidoso uso das palavras, conquistam o coração dos ignorantes e destroem a bondade da mente das pessoas.”
    (Nitiren Daishonin)

    O que somos hoje e o que seremos amanhã depende de nossos pensamentos.
    Se procedo mal, sofro as conseqüências se procedo bem, eu mesmo me purifico.
    (Sakyamuni).

    Tenha sempre bons pensamentos, porque os seus pensamentos se transformam em suas palavras
    Tenha sempre boas palavras porque as suas palavras se transformam em suas ações
    Tenha boas ações porque as suas ações se transformam em hábitos
    Tenha bons hábitos porque seus hábitos se transformam em valores
    Tenha bons valores porque seus valores se transformam no seu proprio destino!!!
    (Ghandhi)

    Eu sou o resultado de meus próprios atos, herdeiros de atos; 
    atos são a matriz que me trouxe, 
    os atos são o meu parentesco; 
    os atos recaem sobre mim; qualquer ato que eu realize, 
    bom ou mal, eu dele herdarei
    (Sakyamuni).

    O leite fresco demora em coalhar; assim,
    os maus atos nem sempre trazem resultados imediatos.
    Esses atos são como brasas ocultas nas cinzas e que,
    latentes, continuam a arder até causar grandes labaredas.
    (Sakyamuni)

    Uma mente perturbada está sempre ativa,
    saltitando daqui para lá, sendo difícil de controlar;
    mas a mente disciplinada é tranqüila;
    portanto, é bom ter sempre a mente sob controle.
    (Sakyamuni).

    O que somos hoje e o que seremos amanhã depende de nossos pensamentos.
    Se procedo mal, sofro as conseqüências se procedo bem, eu mesmo me purifico.
    (Sakyamuni).

    “A Lei não se propaga por si mesma. Por ser propagada pelas pessoas, tanto a Lei como as pessoas são dignas de respeito.” (Gosho Zenshu)

    Causa e efeito.
    Siga a Lei. Não as pessoas.

  25. fernando cals disse:

    Se ainda fosse a primeira vez que a KD tivesse uma casa, em área invadida, demolida, eu poderia sentir pena. Mas, ao contrário de muitos que penam para comprar e construir suas residências em locais permitidos, inclusive com as dificuldades das leis,ela gosta de invadir áreas publicas e ter suas casas demolidas, como já ocorreu anteriormente em área ao lado do Barra Shopping há uns 15 anos atrás.
    Falar, como muitos que opinaram, que o Prefeito, de quem nem gosto, deveria concentrar sua atençao nas favelas, é puro jogo para desviar a a atenção.
    Minha opinião!
    fernando cals

  26. Jerusa disse:

    Humm, Rodrigo ,vc se chama Rodrigo ,não te conheço ,vc não sabe de nada, não se entrometa no passado dos outros , “abuso sim” vc não deve ter filhos e muito menos uma louca como vizinha, falar é facil quero ver e viver ao lado dela, vai ajuda-la a arrumar um cantinho , valeu

  27. Sonia Soares disse:

    Sou budista há 20 anos e dirigente. A Lei da Causa e Efeito é aplicada tanto para os que agem de maneira errada, maculando a vida alheia, como a própria. Assim como para os que, deliberadamente, propagam o mal, seja por palavras ou pensamento. Não devemos julgar os nossos semelhantes, jogando ao ar palavras indignas.
    A vida é um espelho.

  28. Sonia Soares disse:

    Jerusa é o máximo. Além de ser fã de carteirinha do Dudu Maravilha, escreve muito bem. “ABUSO SIM”, VALEU … kd a letrinha U ? hehehehehe

  29. Jerusa disse:

    Vc está confusa, quem te falou que sou fã de carteirinha do Dudu Maravilha, e erro de dijitação ainda vai pior é ser fã de Kátia , vai proucurar o que fazer , vai dar uma mão amiga à ela……..

  30. Sonia Soares disse:

    JERUSA, COMO VC É NERVOSA. PRECISA DE UM CALMANTE.
    “Vc está confusa, quem te falou que sou fã de carteirinha do Dudu Maravilha, e erro de dijitação ainda vai pior é ser fã de Kátia , vai proucurar o que fazer , vai dar uma mão amiga à ela……..”
    A CONCORDÂNCIA NA SUA LINGUAGEM É UM PRIMOR.ISSO É ERRO DE DIGITAÇÃO? E OS ERROS DE PORTUGUÊS PERMANECEM.
    VCS APARECERAM AGORA, NA CONCLUSÃO, PQ NÃO PROCURAR ALGO ÚTIL PRA FAZER? POR EXEMPLO: CUIDAR MAIS DO SEU FILHO PARA QUE NINGUÉM “ABUSE” DO POBREZINHO? hehehehehe

  31. Caca disse:

    Sonia

    olha o que vc falou:
    “A Lei da Causa e Efeito é aplicada tanto para os que agem de maneira errada, maculando a vida alheia, como a própria. Assim como para os que, deliberadamente, propagam o mal, seja por palavras ou pensamento. Não devemos julgar os nossos semelhantes, jogando ao ar ”
    Lembre-se que por sermos Budistas, não estamos acima de ninguém!

    Vc não estaria fazendo causas ruins julgando tb a Jerusa, que com certeza deve estar nervosa? Erros de português e concordância não reprovam ninguém quanto o quesito é abrir o coração.
    A isso se chama a web de “flame” responder comentários de “cabeça quente”.
    Uma coisa é inteligência. Outra é sabedoria.
    Lembre-se que o Estado de Ira, é o Mal premeditado, com toda a inteligência que Entidade em questão possui.
    Não é como o estado de Inferno, Animalidade ou mesmo Fome, onde a pessoa age mais por reflexo.
    Ira é mal pensando na intenção!
    O que todos precisam é de muito Daimoku para se livrarem dos carmas passados e não macular mais ainda as suas vidas através de pensamentos palavras e ações distantes das 4 virtudes. Temos de transformar o veneno em remédio, como disse Daishonin.
    Não acha que em vez de calmante vc deveria era colocar o Daimoku em ação?

    Desejo lhe muito, muito mesmo, boa sorte com a sua Chakubuku.
    Com essa conquista, vc deveria receber pelo menos uns 2 milhões de Daimoku e não apenas 1 milhão, dado ao “tamanho da causa” cármica.

    Lembre-se:
    O ódio nunca desaparece, enquanto pensamentos de mágoas forem alimentados na mente. Ele desaparece, tão logo esses pensamentos de mágoa forem esquecidos.
    (Sakyamuni).

    Tenha sempre bons pensamentos, porque os seus pensamentos se transformam em suas palavras
    Tenha sempre boas palavras porque as suas palavras se transformam em suas ações
    Tenha boas ações porque as suas ações se transformam em hábitos
    Tenha bons hábitos porque seus hábitos se transformam em valores
    Tenha bons valores porque seus valores se transformam no seu proprio destino!!!
    (Ghandhi)

    Boa sorte a todos.

  32. Sonia Soares disse:

    Cara Caca, boa noite ! Vc. leu, mas não compreendeu. Copiar palavras de Saykamuni, Ghandi, Nitiren e outros, não leva ao conhecimento profundo do Budismo. Daimoku pratico todos os dias diante do meu Gohozon. E, acredito que, após, alguns 20 e tantos anos praticante do Budismo, apesar de ser uma eterna neófita, como todos, não desejo levar “pitinho” de uma pessoa que sequer conheço ou faça parte ou não, como sabê-lo, da comunidade.
    Td. o que vc escreveu encontra-se nos livros, jornais, sites relacionados ao Budismo. De onde se conclui – e vc fez uma mistura de palavras e assuntos – que não devo acreditar que seja uma budista.
    Vc. afirma que eu julguei a Jerusa pq escreve mal – sendo verdade e expressa-se de maneira raivosa, surgindo, como outros tantos do nada para atacar a Katia, pessoa que eu não conheço.
    Vc. usa “minha Chakubuko”. Quem é minha Chakubuku, não as tenho aqui. Vc. sequer sabe o significado da palavra, trazendo-me a certeza de que copia de sites direcionados ao Budismo.
    Vc. pratica o Daimoku qtas vezes ao dia? Onde fica localizado o seu Gohozon? Qual a posição ideal para mantê-lo? Vc. faz a prática da Flor de Lótus qtas vezes? Em que nível vc se encontra? Nas reuniões quais os assuntos discutidos, quem abre e faz o encaminhamento durante uma delas?
    A única coisa concreta nos seus comentários são citações e citações (cópias), inclusive de Ghandi.
    Vc. fala em magoa, ódio, ira, não entendi nadinha, minha cara budista virtual.
    Para a sua compreensão, não JULGUEI a Jerusa, muito menos tenho esse direito, mesmo não sendo budista. Assim como vcs atacaram fervorosamente a Sra. Katia. Isto é ser budista?
    Alimente-se do pão que encontra no teu caminho sem distribui-los aos demais e td te faltará. (Sonia Soares)
    Não preciso dos seus comentários, conheço a todos de cor e salteadinhos. Não me venha com estórias e bondades lançadas ao léu sem justificar o procedimento dos que atacaram a Katia.
    Defende a Jerusa – esta sim, merece que muitos Daimokus sejam repetidos milhões de vezes para aliviar a sua alma agressiva e impura de delicadeza com os demais.
    Quer dizer que, faço uma brincadeira com uma pessoa mal educada e vc defende a quem: a vítima ou o algoz?
    vai procurar estudar, se aprofundar no assunto e esquece o Google.
    E não repita mais a Lei de Causa e Efeito, posso dar aulas pra vc. sobre o assunto.
    Não me incomode mais com essas balelas tolas e repetitivas.

  33. Caca disse:

    Cara Sonia
    Citei alguns dos baixos Estados da Vida
    como Inferno, Fome, Animalidade e Ira
    como Estados em que circulamos quando estamos longe do Caminho.
    Eu não ataquei fervorosamente a Sra Katia,
    nem sou “vcs” como vc cita.
    Creio que vc pegou o espírito do “flame”
    e não está conseguindo perceber o intuíto das minhas palavras.
    Mas pode deixar, que não vou mais me pronunciar aqui
    nem lhe incomodar com “balelas tolas e repetitivas”.
    Os 8 ventos são uma realidade,
    cabe a nós sabermos nos esquivar deles
    e seguir no rumo certo.
    A Lei sempre está em curso,
    assim, nós todos arcamos com nossas causas,
    querendo ou não. E eu me incluo nessa também.
    Desculpe me mas entendi que vc estava fazendo Chakubucu
    com a Sra Katia, o que seria uma grande sorte para ela,
    e por que não, para?
    Não devemos transformar o veneno em remédio,
    através da nossa revolução humana?
    Não vejo como boa causa alimentar cada vez mais
    essa “fogueira” que esse assunto se tornou.

    Boa sorte Sonia.
    Do fundo do coração.
    É o que lhe desejo!
    E saiba que todos vcs estão no meu Gongyo e Daimoku,
    mesmo pq nas nossas orações silenciosas
    oramos para todos a humanidade.
    E a cada dia, de manhã e a noite
    peço ao meu Gohonzon, que me torne uma pessoa melhor.
    Grato por tudo.

  34. Jerusa disse:

    Sonia,
    Te desejo tudo em dobro, e engano seu achar que estou precisando de um calmante, como falei no principio a justiça “falha” mas não tarda , quem sou eu para julgar alguem , quem sou eu para descutir religião, e quem é vc para ficar julgando as pessoas com seus depoimentos , pessoas que vc nem conhece , pessoas que estão expondo simplismente o que de fato aconteceu, estou de alma lavada, pura com os meus sofrimentos, pode deixar não vou mais incomodar vc com meus erros gramatical, o que era para ser feito já foi,,,,Boa Sorte para vcs

  35. Sonia Soares disse:

    SimplEsmente vc não muda, Jerusa.
    O assunto esgotou, será que vc ainda não percebeu?
    É finito, acabou… morreu
    Deseja-me o que dobro do que te desejo, o que considero maravilhoso.
    Somente receberá, EM DOBRO, coisas boas
    Vai se tratar !

  36. KATIA

    PRECISAMOS DE SEU E-MAIL. POR FAVOR NOS ENVIE.

    BEIJOS

    MARIA LUCIA FROTA E CLAUDIO CAVALCANTI

  37. Lucca disse:

    Ok..já sabemos disso tudo..mas além dos coments..o que podemos fazer?

  38. Sonia Soares disse:

    O que se pode fazer? Mandar ação em cima do Município e descobrir – existem meios – esse pessoal que falou mal da Kátia num blog que circula na internet e mandar fininho.
    Como dito anteriormente: a vida particular da Sra. Kátia não está sendo discutida, e sim, o que está ocorrendo com a casa.
    Que justiça mal encaminhada.

  39. Lucca disse:

    Quem não tiver pecado..atire a primeira pedra…
    Prefiro ficar com este dito…

  40. Lima. disse:

    Nossa a carreira dela foi brilhante. Ora abusando do filho de uma, Ora pintando carro e colocando fogo na casa de outros. Com esse repertório acredito que apareça mais situações do baú. Rsrsrs…

  41. Andre disse:

    Fala sério, e ainda tem gente que defende essa pessoa.

    Me desculpe, mas é carente, não tem condições financeiras, por que não invadiu terreno em Nova Sepetiba? Claro que não, quer morar na barra da tijuca. Desde quanto é necessidade morar na Barra da Tijuca? Isso é cômodo, essa é a verdade.

    Ai voce escuta gente falando, por que nao derruba casa na favela?! Ora, mas esses sim são os necessitados!!! Ou será que alguem acha que é legal morar na favela?! Agora, na Barra, com certeza muita gente gostaria.

    Ainda vem falar que não ocorreu processo com ampla defesa, mas a Prefeitura fez diversas notificações de que a construção era irregular e que era impossível regularizar por ser APA.

    Legal é que tem gente que defende a pessoa, ai quando acabam os argumentos começam a falar dos defeitos de quem é contra, mas não dá o braço a torcer. Não é feio mostrar que está errado, pelo contrário, é sabedoria!!!

    Não pode, está errado, tem que ser demolido mesmo!! A dela e a de todas as outras pessoas que fizeram isso, não importa se é rico ou se é pobre, branco ou preto, artista ou ladrão.

    Todo mundo só quer saber de proteger o seu, mas se esquece que vive em sociedade.

  42. Desculpado..com certeza, André.
    Infelizmente o brasileiro, ou a sua grande maioria, não tem em sua cultura a questão simples de ler, sabe, ter tempo de ler se informar.
    A casa da KD existia há 45 anos na localidade sabia disso?
    Sabe da lei de posse?
    Soube o que o MP diz? E está fazendo?
    O que vc sabe?
    Sabia que junto a casa dela, outras foram demolidas tb, na mesma congruência dos fatos?
    Sabia que houve uma defesa? Uma contra-ordem para não demolir?
    O que aconteceria se vc ou alguém bem próximo de vc, NAS MESMAS condições do tema? O que vc falaria?
    Como alguém pode ser julgado por ter uma casa em tal lugar?É rico?
    Viver em sociedade…
    Informe-se.
    Esclareça-te!
    Asista o programa SUPERPO nesta segunda dia 20, às 22horas. E tenho a certeza de que sua visão sobre o tema será abrangente.
    Fica aqui o convite.
    Se desejar acesse o site
    http://www.chegaqueremosrespeito.com
    Abraço

  43. Mascarenhas disse:

    Desculpado..com certeza, André.
    Infelizmente o brasileiro, ou a sua grande maioria, não tem em sua cultura a questão simples de ler, sabe, ter tempo de ler se informar.
    A casa da KD existia há 45 anos na localidade sabia disso?
    Sabe da lei de posse?
    Soube o que o MP diz? E está fazendo?
    O que vc sabe?
    Sabia que junto a casa dela, outras foram demolidas tb, na mesma congruência dos fatos?
    Sabia que houve uma defesa? Uma contra-ordem para não demolir?
    O que aconteceria se vc ou alguém bem próximo de vc, NAS MESMAS condições do tema? O que vc falaria?
    Como alguém pode ser julgado por ter uma casa em tal lugar?É rico?
    Viver em sociedade…
    Informe-se.
    Esclareça-te!
    Asista o programa SUPERPO nesta segunda dia 20, às 22horas. E tenho a certeza de que sua visão sobre o tema será abrangente.
    Fica aqui o convite.
    Se desejar acesse o site
    http://www.chegaqueremosrespeito.com
    Abraço

  44. Mascarenhas disse:

    Lima
    Espero vc no programa.
    Espero que encontre VERDADES no baú.
    Abraço

  45. Andre disse:

    Realmente infelizmente o brasileiro não tem em sua cultura a questão simples de ler e de se informar. Assim como também não tem em sua cultura um movimento nacionalista e de respeito as leis.

    O que vemos é, em sua maioria, a pessoa sempre procurando uma forma de burlar o sistema, mas sempre reclamando do poder público.

    Não mostra o certo, só fala o que está errado, parece oposição. Ai entra um político desses e reclama ainda mais, mas se esquece que o político é o reflexo do povo. Se o político é ruim, faça uma auto-critica e uma crítica social e verá que nossa população não é das mais educadas.

    Podemos ver isso em nossos presídios, em nossas delegacias e no dia a dia. Desde um roubo até fingir que está dormingo quando entra um idoso no ônibus.

    Agora, se a lei foi feita antes ou depois, infelizmente ela tem poder de alcançar os casos pretéritos, uma vez que exclusivamente nesse caso é área considerada de proteção ambiental.

    Se fosse minha família, pode ter certeza que criticaria da mesma forma, como já fiz anteriormente. Eu ralo muito para pagar meus impostos, minhas prestações e para morar em uma casa própria e legal. Sei que existem pessoas que não tem condições disso, mas que é honesto e corre atrás.

    Mas se voce não conhece alguém pode julgar essa pessoa apenas pelo que ela construiu, pelo seu passado não é verdade?!

    Me desculpe, uma pessoa pública, tem benefícios e malefícios, um deles é ter sua privacidade invadida, e o que sabemos dessa pessoa não é das melhores coisas, como podemos ver nos comentários acima.

    Agora, podia ser a pior pessoa do mundo ou a melhor, fez errado deve ser punida. O processo já dura anos e anos. Ela sabia que isso poderia ocorrer, se não correu atrás de procurar outra coisa nesse meio tempo, foi, no mínimo, imprudente.

    Se ela tiver razão, ótimo, a JUSTIÇA ira obrigar a prefeitura a pagar uma indenização. Se não, irá ficar sem nada. Mas a casa deveria ser demolida, como foi.

    Qualquer casa, qualquer pessoa pode ter sua casa demolida de considerada a área de interesse público, em tempo bem menor ao que ocorreu a referida demolição.

    A questão é, se a pessoa for correta deverá receber indenização por isso, mas se o estado considerar de interesse público, voce gostando ou não, vai ter a casa demolida, pelo interesse da coletividade.

    Então não entendo por qual motivo isso tudo, não tem processo judicial?! Oras, veremos o que a Justiça vai resolver, mas, sinceramente, se ela achasse que tem chances de ganhar, não estaria fazendo esse estardalhaço todo.

    Como disseram anteriormente a Justiça tarda mais não falha. Se ela tiver razão, não tem com o que se preocupar. Se está preocupada, algum motivo deve ter.

  46. Andre disse:

    Quanto ao ver o programa, voce está de brincadeira né?! O programa é totalmente tendencioso, só vai mostrar um dos lados.

    O mesmo programa que está falando hoje que é um absurdo a derrubada dessa casa é o que apoiou ferrenhamente a CPI da desordem urbana no ano passado, o povo é esquecido demais pelo visto.

    Todos os jornais e revistas apoiavam a CPI da desordem urbana, cobravam que o poder público tomasse atitude e culpava o prefeito anterior.

    Engraçado é que quando é pra multar o vizinho pra consertar a calçada dele, todo o mundo apoia, mas quando é você o multado, ai o choque de ordem é um absurdo, fere os direitos do cidação e todas as desculpas utilizadas sempre, apenas para tentar fugir de suas obrigações como cidadão.

  47. Andre disse:

    ps.: lei de posse?! Ta de brincadeira ne?! Sabe que não existe posse de bem público nem de área pública, muito menos area de proteção ambiental ne!

  48. Mascarenhas disse:

    Tentei…

  49. LIZ disse:

    Kátia estou com vc e quero uma resposta do Judiciário para essa violência e arbitrariedade.Cadê a punição para o Rodrigo Bethlem?E o Delegado?Cadê a Justiça?

  50. Patrícia Ramos disse:

    Oi! Não tem como fazermos algo para colaborar?!

  51. Paulo Leiria disse:

    É incrivel….a Sra em questão, disse para todo mundo ouvir que a area em questão era registrada como uma fazenda,e não um loteamento, mas para driblar a lei (palavras da sra no ar e ao vivo)foi montado um ficticio clube onde seria possivel construir casa de final de semana, e seu pai recebeu tal lote como premio, pois era vendedor de tal clube. A infração as leis começam já por seu pai que aceitou receber area irregular e construir em cima da mesma..Por sinal pergunto. A construção tem registro de planta no Crea? Tem registro no cadastro imobiliário municipal? Esta averbada a construção junto ao cartório de registro de imóveis??? Acho incrivel sua lógica de que as coisas erradas precisam ser preservadas por “decurso de tempo”….

  52. wilson disse:

    O canal é artificial, foi construido para salinizar a Lagoa de Marapendi, pois estava infestado de caramujos.

  53. ELCIO GASPAR BRAGA disse:

    Infelizmente em nosso país existem dois pesos e dua medidas!
    Nada mais me causa espanto na nossa justiça! A culpa disto tudo é dos políticos que não querem mudança, não querem educação para que o povo saiba escolher seus governantes e consequentemente, nunca mudarão as leis, pois quem é rico pode pagar e lutar por seus direitos em condições infinitamente superiores aos dos pobres. O rico paga, contrata, recorre, enfim consegue tudo que o pobre não pode ter com a simples ajuda ( que na maioria das vezes, até é bem intencionada ) da DEFENSORIA PÚBLICA!
    Este caso da Katia Dangelo que percebe-se que não é RICA veio a tona, pelo motivo dela ser uma mulher corajosa e conhecedora de seus direitos, o que na maioria das vezes não acontece com outras pessoas da classe média e pobre!
    Acho difícil a justiça reconhecer que errou ao permitir que a Prefeitura cometesse este desmando!!!

    Eu queria ver se teriam coragem de demolir, se a casa fosse de um Procurador, Juiz, Desembargador, Militar graduado, político ou de alguém rico…

  54. patricia rosa disse:

    Infelizmente vivemos num país das injustiças, onde vemos a lei dos mais fortes, onde pessoas mal preparadas lidam com inocentes como crianças e idosos, tenho filhos e pais com idades avançadas e choro, pois gostaria de ter orgulho de meu estado, mas me envergonho por ver um fato tão injusto com pessoas residentes há mais de 50 anos num local, onde se construiu uma vida, mesmo q essa vida seja de atitudes impensáveis, pois quem não tem pecado q atire mesmo a primeira pedra, mas injustiças NÃO!

  55. GIL disse:

    Segue:

    Se os moradores chegaram naquele local primeiro, tem direito adquirido!

    Afinal, uma nova lei não pode retroagir em detrimento dos direitos já adquiridos!

    Isso vale para qualquer cidadão independentemente do que ele faz ou é!

    Constitucionalmente garantido!

    Matéria básica da faculdade de direito, primeiro ano, inclusive.

    Segundo:

    Pergunto então: será que existi algo mais por trás de tudo isso? Senão o porque de retirarem somente alguns moradores e os outros que estão na mesma situação, porque não foram retirados também?

    Todos sabemos quantos condomínios e casas existem na mesma situação.

    Então gostaria de compreender o que realmente tem nesse história toda.

    Não conheço nenhuma dessas pessoas, mas, achei um verdadeiro absurdo, retirarem essas pessoas, inclusive crianças e idosos, sem um plano diretor para realoca-las em lugar seguro e com dignidade.

    E a indenização, já que quando eles foram morar na área, a mesma não era pública e sim de uso privado, dando sim o direito de posse sobre a mesma.

    Que governo é esse que está agindo aí no Rio?

    O Poder Judiciário que acredito sim ser sério e eficaz, com certeza deveria se manifestar para modificar a forma de atuação governamental ora em atuação.

    Agradeço.

  56. Mascarenhas disse:

    PAULO
    VEJA NO SITE OS DOCUMENTOS
    http://WWW.CHEGAQUEREMOSRESPEITO.COM
    NO LINK
    http://www.idefacil.com.br/ouro55/index.php?page=54.php
    O TAL CLUBE QUE VC SE REFERIU..

  57. Mascarenhas disse:

    PARTICIPEM
    ABAIXO ASSINADO
    http://www.chegaqueremosrespeito.com/assinatura/

  58. Mascarenhas disse:

    GIL
    PRECISAMOS DE VC!!

  59. Mascarenhas disse:

    LIZ
    OBRIGADO1
    ACESSE O SITE
    http://WWW.CHEGAQUEREMOSRESPEITO.COM

    ORKUT DA KATIA:
    http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=7429087026968722000

    NO SITE TEM TUDO!

  60. Mascarenhas disse:

    PATRICIA!
    OBRIGADO DE CORAÇÃO
    ACESSE O SITE
    http://WWW.CHEGAQUEREMOSRESPEITO.COM

    ORKUT DA KATIA:
    http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=7429087026968722000

    NO SITE TEM TUDO!

  61. moacyr nogueira disse:

    Fiquei triste ao tomar conhecimento do drama vivido pela atriz Kátia D´Angelo, uma das melhores atrizes da nossa dramaturgia. Aguardamos uma atitude mais lucida por parte do prefieot da cidade do Rio, sr. Paes, que eu reputo ser uma pessoa idônea. È preciso repensar e analisar melhor tal decisão que , inevitavelmente, causará danos morais e fisicos às pessoas que oram em tal lugar. Ms agir com mais calma e inteliGÊNCIA.
    Por fim, quero dizer que eu continuo um admirador e fâ da Kátia D´Angelo.

  62. Demonstro minha indignação ao PREFEITO do RIO DE JANEIRO, e sua equipe de nazistas pela forma como adentrou a casa das cidadãs brasileiras, mães de familila com crianças menores , de uma senhora também idosa , e a da atriz CATIA D’ANGELO,filha de um senhor idoso de 91 anos de idade, como também de uma inquilina habitante no mesmo imóvel…

    Não se invade residências dessa maneira não, comendo a comida e destruindo objetos pessoais, sem chances de se defenderem, o ESTADO tem culpa sim, o país inteiro virou CASA DE MÃE JOANA .

    Onde estão os direitos das CRIANÇAS, e dos IDOSOS?

    Até quando a violência e o abuso de poder neste país vai deixar sequelas na vida de cidadãs e cidadãoes trabalhadores?

    JUSTIÇA JÁ.

    O que eu vi e ouvi na TV ontem a noite ( dia do amigo ,20 de julho 2009), no programa da Luciana Gimenez, foi uma grande barbarie.

    Meu GRITO DE CLEMENCIA para estas familias.

    Meu REPÚDIO A PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO.

    Ednamay Cirilo Leite – Jornalista ativista – em luta constante pelos DIREITOS E PELA CIDADANIA BRASILEIRA.

  63. Luis Octavio disse:

    Ednamay
    Contamos com sua parceria!
    O seu GRITO é o NOSSO GRITO!
    O seu REPÚDIO é o NOOSO tb!
    Sua nota já foi publicado no site na coluna “Eu acho – Depoimentos
    ESTAMOS NOS REUNINDO AINDA ESTA SEMANA PARA TRAÇARMOS AS METAS DESTE MOVIMENTO.
    ESTOU AGUARDANDO O RETORNO DA KATIA DE SP.

    QUERO AGRADECER DE CORAÇÃO TODOS QUE SE DISPUSERAM EM VER O PROGRAMA SUPERPOP.
    Convido todos a acompanhar e colaborar com informações e comentários!

    http://WWW.CHEGAQUEREMOSRESPEITO.COM

    ABAIXO ASSINADO:

    http://www.chegaqueremosrespeito.com/assinatura/

    ORKUT KATIA:
    http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?rl=fpp&uid=4452718733834817222

    ORKUT DO SITE:
    http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=9659433729388464305&rl=t

    KATIA D’ANGELO!

  64. Joanna disse:

    Bom, infelismente temos o prefeito que, assim como o governo e presidente. desta cidade, dste estado e deste país de infelizes, mal educados,desinformados, desonestos, desleais, omisssos,covardes,desinteressados, dissimnulados,e tudo mais que nao condiz com a nobreza da condição humana, merecemos. Portanto toda desgraça e pouca para um povo tão omisso tão covarde como o nosso.

  65. Benvinda Rodrigues disse:

    Oi conheço a Historia da Catia D angelo, Tenho 46 anos e vi e vivi muitas istoria. amiga pra vc parecer assim na midia naõ é poracaso aparti desse momento sua vida vai mudar; A globo esqueceu oque vc foi, mais o Brasil não esqueceu de vc beijos da turma da decada de60 que sempre te adimirou.

  66. Benvinda Rodrigues disse:

    me responda por favor. abraço da benvinda

  67. Raul Nobre disse:

    Oi, Katia.
    Sou o escritor Raul Nobre Xavier de Almeida.
    Assisti à entrevista de ontem 21/07/09 com a Luciana Gimenes. Fiquei perplexo e chocado. Sou morador da Barra, próximo ao canal de Marapendi.
    Veja no meu blog “Duvidas do Inglês?” ou no meu site http://www.raulnobre.com.br
    meus comentários a respeito. Conte com a minha solidariedade.
    Abraços
    Raul Nobre

  68. Raul Nobre disse:

    OI, KATIA
    Sou o escritor Raul Nobre Xavier de Almeida, morador próximo ao canal de Marapendi.
    Vi sua entrevista no programa de ontem, 21/07/09, da Luciana Gimenes e fiquei perplexo e chocado.
    Veja meu comentário no meu blog “Duvidas no Inglês?”ou no meu site
    http://www.raulnobre.com.br

    Conte com a minha solidariedade.
    Abraço
    Raul Nobre

  69. Apena comentarmos, ou porque temos admiração pela Kátia,porque somos fãs, por causa de a conhecermos do cinema e da televisão, não resolve nada. Eu poderia dizer aqui também, que sou fã dela, que ela marcou a minha adolescência na novela “Anjo MAU” em 1976,etc e tal, só que nada disso resolve. O que resolve é todo mundo se unir e fazer um abaixo assinado e botar pressão em massa na porta da Prefeitura, cobrar do Prefeito uma atitude, mesmo que todos saiam de lá, alguns presos, outros intoxicados por bombas de efeito moral, etc e tal, porque a união faz a força. A casa dela já foi para o chão, não tem mais jeito. Mas,com a popularidade que ela tem á nível nacional, conseguirá sem muita difuculdade, muitas pessoas que não tenham medo e que se unam á ela, para que pelo menos, o Prefeito conserte o estrago que fêz, indenizando-a, o mais rápido possível. Não adianta nada, a Luciana Gimenez ficar com aquela cara exagdrada de maquiagem, mais parecida com foto de lápide de túmulo no Super Pop, fazendo perguntas e mais perguntas e ficando por isso mesmo. É preciso agir. Mas inflizmente, viviemos num país que é habitado por um bando de sangues de baratas. Tdodo mundo fala,fala,fala, fala, fala,mas na hora de botar a cara a soco, todos tiram os seus da reta. Só prosa mole e conversa fiada, não resolvem nada. Não estou aqui, absolutamente,incitando nada e muito menos, querendo fazer apologia à violência. É que esse tipo de coisa, não aocntece de qualquer jeito em um país de primeiro mundo, mas nem por decreto. É que aqui é uma bagunça magsitral mesmo e o Rio de Janeiro tasmbém, está uma merda para sae viver. Todo mundo se esqueceu de que DEUS existe.

  70. Sonia Soares disse:

    Tenho recebido as msgs postadas sobre o caso da Katia. Li todos com muita atenção e cuidado.

  71. Sonia Soares disse:

    Continuando. Como dizia leio todos os comentários. Alguns, por vingaça e por serem desumanos, aproveitam para tripudiar do ocorrido, outros querem ajudar e apoiam a Katia.
    O que a Katia deveria ter feito desde o inicio, ao receber a notificação seria constestar, procurando um bom advogado – e choveria – ou a Defensoria Pública. Avisei a Katia diversas vezes que, após determinado tempo ele teria o direito adquirido através de uma ação de usucapião.
    Mas o Sr. Dudu e seu bando de sem vergonhas não deram tempo pra nenhuma atitude.
    Katia pode e deve entrar com uma ação e pedir indenização por danos morais e materiais, agora que a casa foi demolida, provando o tempo que residiu no local.
    Existem tantas sujeiras ocorrendo nos corredores da atual Prefeitura, como: compras sem licitação, funcionários sendo exonerados nominalmente (sem sair o nome do D.O somente o código do cargo, o que é ilegal), apadrinhados sem competência ocupando cargos anteriores com salarios alvitantes, tanta coisa escusa, ninguém imagina.
    De nada vai adiantar passeatas, faixas, gritos de protesto. O correto e eficaz é o MP se manifestar. Mas, para tanto, ele precisa que o POVO o “provoque”.
    O MP representa os interesses da coletividade e pode acabar com essa bandalha.
    Sinto pela Katia e as outras famílias que perderam as suas casas.
    Mas não admito, em hipotese alguma críticas a situação e aos que apoiam a Katia e seu pai, senhor idoso.
    Enquanto ela estava na casa, esses “urubus” não se manifestaram, agora, como td mudou e as familias sofrem com as suas perdas, eles aparecem como aplaudindo e se regozijando de uma infeliz situação. Pobres coitados ! A vida é um espelho, tem volta.
    A Katia vai saber como agir e recuperar o que tem direito. Tenho certeza e torço muito por isso.
    O Dudu deveria verificar – e tem conhecimento – que diversos condomínios na Barra e São Conrados estão em situação irregular. Pq. não agem da mesma maneira?
    Pq o dinheiro é bola, rola.
    O negócio do Prefeito Dudu, pra quem não percebeu ainda é a especulação imobiliária. Muita coisa ainda vai acontecer.
    DESEJO SORTE PRA KÁTIA

  72. Sonia Soares disse:

    FALANDO EM ÁREA AMBIENTAL: As favelas do RJ foram construidas, 90% em áreas ambientais. Pq o Prefeito Dud~u não toma a mesma providência?
    Mas é ruim, ne?
    E os traficantes que CUIDAM dos interesses dos locais.
    O absurdo é pagar impostos altissimos e viver rodeado de favelas que crescem, sem controle, da noite para o dia.
    ISTO SIM É UM ABSURDO.
    E não somente gente humilde mora em favelas, assim como em Copacabana está repleta de conjugados com GENTE HUMILDE.
    Fala sério, isso é caso de polícia.

  73. Simonn Lopes disse:

    É muito engraçado a forma e conduta das nossas autoridades;não há mudanças nunca; até parece que
    existe uma tendencia natural das coisas envelecerem
    piorando; e a conta, a dor sempre fica para os menos
    previlegiádos ou mais descamisados;

    quando “a” tá no trono “a” faz coisas que “b” critica e fica orrorizado e “b” depois de muitas histórias, conversas e retóricas consegue destronar “a” meu amigo quando “b” senta no trono,
    ah, ah que delicia, devido a dificuldade burrocráticas, protocolares ou incopetência política a promessa de ” b” fica lá no belo e lindo discurso,
    sem novidade todo bom brazuca sabe que isso é costumeiro e é bem coisinha e mesmices de brasileiros;

    Se não juntar forças, colher muitas assinaturas, tornar a público com mídias corajosas, o abaixo assinado não vai ao encontro do direito do cidadão;
    22.07.09 Simonn

  74. Lima. disse:

    A quem interessar.

    Vi o programa e achei um grande teatro, ou seja, um monólogo de senhora Kátia que, muitas vezes, interronpia os advogados. As outras supostas vitimas da demolição só tiveram espaço por que um dos advogados atentava que não era apenas a casa da Srª Kátia, mas sim de outras pessoas que ali tambem estavam.

    Entendo o comportamento da atriz, entretanto, num momento desse, não se deve aproveitar da condição de um veiculo de comunicação, ou até mesmo da profissão que se exerce. Será que se não fosse uma casa de atriz essa matéria aconteceria?
    Dizer que os servidores chegarqam e falaram “x” coisas e mecheram em seu pertences é covardia por parte da Kátia, pois não acedito que um servidor que ganha vale refeição e trabalha na segunda maior Prefeitura do pais, se sujeite a um papel desse. Além do mais, uma operação desse porte tem a presença de várias autoridades de vários orgão envolvidos.

    Portanto o programa foi a defesa de um lado só, porém a nota da prefeitura foi perfeita. Não se faz uma operação de demolição sem a observancia da lei e o aval de outros orgão públicos. Digo mais uma vez que entendo a situção dessas pessoas que tiveram suas casas demolidas, mas a lei deve ser cumprida. Acredito que hoje este pais está dessa maneira pelo não cumprimento de algumas leis.

  75. Fabiana disse:

    Lendo as postagens eu lamento que algumas pessoas não compreendam a gravidade do que está acontecendo na cidade do Rio de Janeiro. Lamento que um cidadão , que provavelmente tem uma família vivendo nessa cidade ou em qualquer outra do mundo diga que é fã do Eduardo Paes, e aplaude o ” choque de ordem” isso é um retrocesso na história da humanidade!!!

    Muitos foram os que acharam que um “choque de ordem” resolveria “problemas” da humanidade, Hitler foi um deles…E acreditem, ele estava certo de que suas intenções eram as melhores … e conquistou um exército de admiradores…
    Só que precisou acontecer para anos depois contar-se a emblemática história de crime contra a humanidade e restou o pedido de perdão pelas vidas que foram sacrificadas em nome da ordem, da limpeza.

    Resgatemos os campos de concentração, e atiremos os ” irregulares” lá. Vamos dizimar a pobreza!!!
    Limpeza social é o nome mais adequado para o choque de ordem do nosso prefeito.
    Espero que essa cidade conte com gente de garra e coragem para deixarem para as futuras gerações uma história diferente da que o nosso prefeito pretende escrever…

    Não me interessa as especulações sobre a vida particular da Sra. Kátia D’Angelo, o que me interessa é que houve uma oportunidade para tornar público os crimes que a prefeitura do Rio de Janeiro, com apoio estadual e federal vem cometendo. Infelizmente isso só ganha espaço na mídia quando a história pode ser “interessante” e chamar a atenção do público viciado nas especulações da vida alheia. Enquanto não podemos mudar isso, vamos aproveitar a porta que a Sra. Kátia abriu e denunciar esse crime.
    O que aconteceu no Canal de Marapendi é só o começo, os planos do Sr. Eduardo Paes são bem mais audaciosos…

    Outras postagens, como a do André,que articula até bem as palavras, me chamam a atenção , acho uma pena que alguém que sabe escrever não faça bom uso das palavras. Mas fazer o quê? Estamos numa democracia… a alienação quanto aos problemas sociais pode ser uma escolha…

    O que eu posso fazer é discordar das idéias do André. Não acho que se ele próprio ou alguém muito querido dele que tivesse sua casa, construída com 40, 60 anos de trabalho, ficasse conformado porque um belo dia decidiram que você atrapalha a organização da cidade, e com isso derrubam seus sonhos, sua história, sua vida. Não é tão simples assim meu caro: “Se está errado, tá errado e pronto!” Se assim fosse, não restaria um só condomínio na Barra da Tijuca.

    E mais, que história é essa de que se quisesse casa mesmo iria para Sepetiba? Não sei se você sabe, mas há 40, 60 anos atrás a Barra da Tijuca não era essa Miami que se vê hoje. Recreio dos Bandeirantes, Vargem Grande, Pequena, há poucos anos atrás eram só pântanos, ninguém queria morar por lá, aqueles lugares eram habitados por quem estava às margens da sociedade, que é claro, agora que urbanizado, não deve ter pobres.

    Áreas nobres… mas… será que alguém pode me explicar por quê pobres não devem morar na Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Copacabana, Leme ou Alto da Boa Vista? Onde mesmo está escrito isso? Ah! claro! Isso é escrito todos os dias, por cada um que concorda com essa segregação social, que acha mesmo que o mundo deve ser separado em providos e desprovidos de boa saúde financeira. É assim, eu sei disso. Sendo que eu posso ficar conformada – é bem mais cômodo – ou não concordar, e se eu não tiver a coragem de partir para a luta, posso ao menos não disseminar a idéia tão arraigada (até mesmo nos que tiveram mais acesso a educação e cultura) da segregação social.

    Talvez seja porque eu viva todos os dias a ameaça de ter a minha casa destruída é que eu tenha a sensibilidade de fazer essas observações. Não quero aqui fazer julgamentos aos que não compreendem essa luta, é muito difícil para aqueles que não sofrem com isso. É preciso viver pra saber ou transcender as barreiras sociais que separam o mundo E é assim, mudar isso é difícil, diria utópico, mas olhar por cima desses muros é possível sim, dá trabalho, certamente você não fará parte da maioria, podem dizer que você é louco, mas eu digo que é um preço que, acredito, vale a pena pagar.

    Só pra saber: Tenho 30 anos, quarta geração da minha família nascida no Alto da Boa Vista, e estou na luta para não ter a minha casa demolida. O Alto da Boa Vista conta com comunidades com mais de 200 anos de história e há uma trama da prefeitura, e outros órgãos públicos (que deveriam nos defender) para apagar essa história e aniquilar essas comunidades. Eles irão começar pelas pequenas comunidades ( comer pelas beiradas) está decidido. Estamos lutando bravamente contra isso.

    É, dizem que moramos em área de RISCO, mas como costumamos dizer, moramos é em área de RICO!!!

    A história é que há uma grande especulação imobiliária, e como disseram numa das postagens, a grana é como bola, rola.

    Descobriram que o Alto da Boa Vista é um dos melhores lugares do Rio pra se viver. Então pra quê deixar pobres por lá?

    Daqui a alguns anos o filho do André deve se fazer o mesmo questionamento (istó é, se restar algum sobrevivente pobre no Alto da Boa Vista) : tanto lugar pra pobre fazer casa, pra quê no Alto da Boa Vista? Muito espertinha essa gente!!!

    Deixo aqui um convite a reflexão.

  76. DCM DIÁRIO DA CÂMARA MUNICIPAL
    DO RIO DE JANEIRO

    ANO XX. No. 99, Sexta-feira, 24 de maio de 1996
    O SR. SIRKIS: Sr. Presidente, Srs. Vereadores, pessoal das galerias, da Comunidade do Canal das Taxas, que veio aqui preocupado com a sua situação: eu gostaria de me referir a essa situação e à mensagem enviada à Câmara pelo Poder Executivo, até porque tenho informações que podem ser altamente esclarecedoras tanto para os Vereadores quanto para as pessoas que vêm aqui nos visitar no dia de hoje.
    Eu gostaria de dizer, inicialmente, que soufavorável à mensagem enviada pelo Poder Executivo, que viabiliza a realização do Projeto Favela Bairro naquela comunidade. Acho que ela é correta. Aquela comunidade deve ser contemplada com o Projeto Favela Bairro, não devendo haver, neste caso, qualquer tipo de remoção, e os lotes às margens do Canal das Taxas podem e devem ser utilizados para o reassentamento de populações. Acho que nesta circunstância absolutamente não caberia uma ação de remoção daquela comunidade nem do seu assentamento num local
    distante daquele onde as pessoas moram.
    Essa é a minha posição como Secretário de MeioAmbiente que fui, e como Vereador, que sou.
    Eu tenho, por acaso, uma ligação grande com essa situação, por circunstâncias que passarei a explicar. Na legislatura passada, fui autor de uma lei que criou a Área de Proteção Ambiental da Prainha e que impediu a construção de doze espigões naquela praia, que é a última praia totalmente reservada da Cidade do Rio de Janeiro. No entanto, a Prainha é uma propriedade particular. No momento
    em que se inviabilizou o aproveitamento econômico daquela área, era necessário se resolver o problema da titularidade dessa área, que, de alguma forma, teria que passar para a propriedade do Município para este poder ali implantar um parque ecológico.
    Havia duas formas de fazer isso: uma através de desapropriação na forma da Constituição, que é a desapropriação onde previamente o Poder Público tem que indenizar o proprietário. Isso seria, na minha opinião, oneroso para o Município. Então nós adotamos, desde o momento que assumimos a Secretaria de Meio Ambiente, outro caminho, muito mais complicado, mas mais interessante do ponto de vista dos cofres públicos, que é a permuta. A Prefeitura da Cidade tem terrenos no Recreio dos Bandeirantes que não tem absolutamente, nenhuma destinação, nenhuma utilidade, estão ali largados, podendo ser, inclusive, invadidos e mal aproveitados a qualquer momento. Então, começou-se a discutir uma desapropriação na prática, mediante permuta. Quando esse processo estava em negociação, surgiu a informação que os mesmos proprietários dos terrenos da Prainha eram proprietários também de alguns lotes ao longo do Canal das Taxas, que, do ponto de vista deles, não interessava aquela área, mas do ponto de vista da Prefeitura interessava, porque era uma área contígua, uma área lindeira, de uma continuação de uma comunidade e ela poderia ser utilizada para o
    assentamento de populações no marco do Projeto Favela Bairro. Então, nós imediatamente incorporamos também esses lotes, para matar dois coelhos de uma só cajadada; por um lado liberar a Prainha para a construção de um parque; por outro, liberar esses lotes para poderem ser utilizados no assentamento dessas populações do marco do Projeto Favela Bairro. Até aí, estive à frente desse processo de negociação. Como isso é uma burocracia terrível, vocês nem imaginam a burocracia que é, esse processo, até hoje não conseguiu ser concretizado.
    Então, qual é a situação daqueles lotes? Aqueles lotes são particulares, pertencem a uma família, a uma empresa, não são ainda da Prefeitura embora o
    objetivo da Prefeitura seja tomar posse daqueles lotes para fazer o trabalho de reassentamento. Há alguns meses, tive um surpresa desagradável quando recebi a informação de que, sabedor desta operação de permuta, o então Subprefeito da Barra da Tijuca, Eduardo Paes, antes desse processo ter sido concluído, antes desses lotes terem passado efetivamente para propriedade da Prefeitura, iniciou
    um trabalho de construção de casas ali. Euimediatamente, telefonei para o Eduardo e conversei sobre esta situação, mostrei para ele o risco que isso acarretava, tanto para a Prefeitura, quanto para as comunidades, porque, a qualquer momento, o proprietário poderia entrar na justiça com uma ação de reintegração de posse. Aí, com ou sem Prefeitura, o juiz concederia uma liminar,
    por decisão da própria Justiça, e as pessoas poderiam ser retiradas daqueles lotes. Então, na verdade, embora a intenção tenha sido a melhor possível, colocou-se o carro à frente dos bois, tanto no aspecto da titularidade, da
    propriedade daquele terreno, quanto no aspecto dos parâmetros edilícios – que significa a metragem com que você pode construir, quantas unidades você pode
    construir naqueles lotes – que são regidos pela mesma legislação de urbanismo que existe no bairro do Recreio dos Bandeirantes. Evidentemente, aquelas
    construções que foram feitas ali foram feitas com uma densidade maior do que a lei permite.
    O Poder Executivo, o Prefeito, procura corrigir essa situação, enviando à Câmara dos Vereadores, “a posteriori”, depois da coisa já feita, um projeto que altera esses parâmetros. Eu até estou disposto a votar favoravelmente ao projeto, mas gostaria de ressaltar que a coisa não foi feita de uma forma correta. Pode acontecer, de repente, dessa coisa enrolar. Passam as eleições, surge uma nova
    Prefeitura e as pessoas que estão assentadas naquele lote não têm a menor garantia de permanecer ali, porque, a qualquer momento, o proprietário pode
    entrar com uma ação na Justiça, que tendo uma reintegração de posse e, aí, a situação das pessoas que estão fica ameaçada. Acho que isso é uma questão que tem que ser colocada, para que as pessoas conheçam, em detalhe, qual a situação.
    Em relação a esta questão, quando começou o processo de construção das casas, pessoas da comunidade de classe média, dali da vizinhança, vieram reclamar.
    Inclusive, uma das senhoras brigou comigo, de forma muito agressiva. Eu coloquei para essa senhora a mesma posição que coloco para qualquer pessoa, em qualquer circunstância: nesse caso específico, sou a favor daquela comunidade naquele local, pois acho que aqueles terrenos podem ser utilizados para o assentamento de populações. Agora, a coisa tem que ser bem feita, dentro da legalidade, o
    terreno desapropriado, passar para a Prefeitura – esta é a primeira coisa. A segunda coisa: temos que aprovar uma legislação que permita esse assentamento e altere os parâmetros existentes no Recreio dos Bandeirantes, que hoje não permitem aquela quantidade de casas dentro daquele lote. Acho que essa comunidade de classe média eventualmente pode ser persuadida a aceitar esta situação, desde que se discuta exatamente como vão se fazer estas construções nesses lotes. Então, não é nenhum bicho de sete cabeças. Conversando, é possível um amplo entendimento.
    Eu gostaria de manifestar minha surpresa, e se eu não estiver com informação correta me perdoem, mas foi como chegou ao meu conhecimento, em relação às
    palavras proferidas pelo Sr. Prefeito, no dia de hoje, lá no Recreio dos Bandeirantes, a respeito de uma lista de Vereadores em relação à emenda do
    Vereador Saturnino Braga. Esclareço que na Câmara dos Vereadores, como no Congresso Nacional, como na Assembléia Legislativa, existe uma regra em que a
    emenda de um Vereador só pode ser discutida mediante um certo número de assinaturas de outros Vereadores, chamadas de apoiamento, viabilizando que essa
    emenda seja discutida. Evidentemente em se tratando da emenda de qualquer Vereador e, sobretudo do meu caro colega e companheiro Saturnino Braga, eu
    sequer olhei o que era, coloquei o jamegão dizendo: claro, vamos discutir. Na maior parte das vezes os Vereadores aqui, quando é para apoiamento de emenda
    para poder ser discutida, sequer olham para a matéria. Por isso acho que houve uma precipitação enorme do Prefeito Cesar Maia. Quero dizer que o Prefeito Cesar Maia, nessa circunstância, não agiu como Prefeito. Agiu como chefe de um partido
    político, PFL, de uma facção política, dentro de um contexto eleitoral. Porque esta questão do Canal das Taxas, do programa Favela Bairro é uma questão, até
    não são tantas assim, mas essa é uma das questões que é perfeitamente possível se obter um consenso entre o governo e oposição. Por outro lado, no meu caso, não sou nem governo, nem oposição. Minha posição aqui é de absoluta
    independência. Voto com o Prefeito nas coisas que acho que são corretas e contra nas coisas que acho equivocadas. Em diversas vezes, como secretário fiz críticas a aspectos da ação do Prefeito com as quais não concordei, quanto mais como Vereador Alfredo Sirkis porque aqui continuarei votando com minha consciência, da mesma forma como votei contra aquele pedido que me pareceu descabido de “impeachment” do Prefeito, que me pareceu um equívoco, fui contra. Posso eventualmente discordar do Prefeito sobre alguma mensagem, algum posicionamento público. Tenho manifestado discordância. Essa é uma questão que tem que ser discutida com seriedade. Não pode ser objeto de aparelhamento eleitoreiro. Acho que a comunidade do Canal das Taxas deve ter liberdade de votar em quem quiser; isso não está em discussão. Evidentemente, na medida que é uma posição da
    Prefeitura urbanizar sem remover, nesse caso, executar uma obra dentro de uma comunidade, mantendo essa comunidade no mesmo lugar, uma das críticas que a oposição fazia, às vezes injustamente, ao Prefeito, era a identificação do Prefeito com uma política de remoção sistemática. Minha posição é muito clara.
    Acho que comunidades perfeitamente consolidadas que se encontrem fora de área de risco, fora de área de proteção ambiental, devem ser urbanizadas no próprio
    local. Em relação a ocupações, sobretudo ocupações novas, em área de proteção ambiental, em áreas de risco, sou a favor de retirar. Como Secretário de Meio Ambiente, retirei inclusive, dentro do próprio Parque Chico Mendes. Então, acho que cada situação é uma situação.
    O Autródomo é uma situação. O Autódromo é uma pouca-vergonha. Ali tem mansões de quatro andares, de pessoas que não são necessitadas, de pessoas que são ricas e que estão ocupando área de faixa marginal de proteção. Agora, a situação da comunidade do Canal das Taxas é complemente diferente. É uma comunidade carente, está ali há bastante tempo, existe um projeto de urbanização, então, essas têm que ser discutidas com tranqüilidade.
    Muitas vezes, critico aqui tomadas de posição de Vereadores em relação à Procuradoria Geral do Município. Fui testemunha inúmeras vezes, de gestos muito corajosos de independência da Procuradoria em relação ao Prefeito. E devo dizer, que neste assunto, depois da Secretaria de Meio ambiente, o outro órgão que advertiu o Prefeito, sobre os riscos de se fazer aquele reassentamento da forma que estava sendo feito, foi a Procuradoria do Município. Então, minha posição é muito clara: a comunidade deve permanecer no local. É possível se fazer um
    reassentamento naqueles lotes junto ao Canal das Taxas, mas vamos discutir como, com que densidade, com que condições, com que parâmetro e, sobretudo, esses lotes têm que ser imediatamentedesapropriados. Em relação a isso…
    Então acho que as coisas estão claras. O Prefeito já decidiu, inclusive, retirar esses lotes daquele processo mais complicado da permuta e irádesapropriá-los na forma da Constituição.
    Então, acho que a situação de vocês, a situação em relação à qual vocês estão preocupados…
    Tem perfeita condição de ser resolvida dentro de uma discussão tranqüila e sem essas manipulações de época eleitoral, essas coisas.

    Vejam o site: http://favelabairro.orgfree.com = Favela Bairro a falência de uma política habitacional _ O outro lado que não é contado pelas autoridades

  77. Antonio Carlos disse:

    Me reporto aqui ao ano de 1974, quando neste mesmo canal costumava pescar, ainda sem poluição e na epoca em que a Barra da Tijuca era um lugar tranquilo e de poucas casas e alguns restaurantes para se regatear da nostalgia que tanto costumo recordar de um Rio de Janeiro em que ainda havia Paz.
    Lembro bem destas casas que ornamentavam o canal da Barra e que ali estavam bem antes deste bairro ser invadido pela desenfreada expansão imobiliaria que levou ao caos em vivem hoje os seus moradores que desprovidos de infra extrutura e sem segurança estão assistindo a uma disputa politica de quem mais quer aparecer neste contexto.
    Cade a Adminnistração Publica que tanto deveria se preocupar com saneamento basico e preservação ambiental onde na realidade existem esgotos a céu aberto e lixo nos rios e lagoas da região onde só se vê abandono e falta de investimento.
    Mas focando o assunto neste episódio com a desapropriação sem critério e a minima ação social por parte das autoridades, fico extarrecido com a inercia da justiça que deixou de atender ao direito da moradia e posse das propriedades sem o minimo respeito aos cidadãos que ali estavam há mais de cinquenta anos e que por direito constitucional merecem o apoio e amparo de seus direitos exercidos.
    Fica aqui o meu manifesto de repudia a maneira com que foi conduzido e ao desfecho de tudo o que aconteceu, acho que nós, os cidadãos que construiram este pais e sustentam toda esta maquina Publica e administrativa, merecem um minimo de consideração !!!

  78. eliane disse:

    Eu vou falar peli lado espiritual:as 4 casas que ele derrubou,ele vai ajustar contas com deus,ele e esse betlen vao sofrer colhendo o que elesplantaram,ainda mais que ali havia 2 grandes mulheres filhas de DEUS,o caso émuito mais serio do que ele pensa,DEUS ESTA IRADO COM ele,uma pessoa fria,sem coraçao.Assisti o programa da LUCIANA GIMENEZ e vi a senhora em um choro profundo;olha prefeito voce foi uma pessima escolha epode ter certeza que todas essas lagrimas dessas senhoras estao sendo recolhidas no odre de DEUS,para depois serem todas derramadas sobre sua vida,redima-se desse erro e abrigue essas pessoas novamente.

  79. monica mesquita disse:

    Mesmo desconhecendo todo o processo, porque não esta sendo considerado o “uso capião” ou seja, depois de 5 anos pagando ou não IPTU, a katia se torna “proprietaria” e para sua saída no mínimo, indenização por valores das áreas lindeiras.
    Não consigo entender como esses moradores ficaram tão vulneraveis, a ação não procede em nenhum ponto. Tudo me parece uma grande loucura

  80. Andre disse:

    monica mesquita
    não existe a usucapião de área ambiental.

  81. Felipe disse:

    André,os moradores já estavam antes das áreas se tornarem protegidas.

  82. mascarenhas disse:

    Lima..o interessado.
    Teatro? Monólogo?
    Supostas vítimas?
    Vc não viu o programa
    Vc por acaso tem acompanhado o que anda acontecendo no Rio com outras dezenas de pessoas na mesma condição?
    Se vc passasse por problema semelhante e pudesse ter o espaço num programa de tv para expor seu problema..o que vc faria? Não iria? Ficaria em casa?O que vc faria?
    Vc estava presente no ato referido? Viu o que aconteceu? Sabe de detalhes?Viu pela estrada a fora pedaços dos móveis da KD? Viu o que sobrou de seus pertences?Covardia?
    Vc viu o programa?Viu o link aberto para que alguém ‘do outro lado’ se manifestasse? Viu?Entende a situação destas pessoas?
    relutei em refutá-lo..mas não tive paz.
    Infelizmente tenho duas observações à você:
    1.Faz parte desta corja de desumanos, que desprovido de qualquer sentimento de humanidade, tentaram destruir a vida destas pessoas.
    2.Vc é totalmente alienado, desprovido de informações, com preguiça de ler, e achar bonitinho dar opiniões e tecer sérios julgamentos contra as pessoas que sofreram este ato.
    Lima, mostra sua cara!
    Não se esconda num post onde não se tem dado a seu respeito.
    Intere-se!
    Seja homem e não néscio!
    acesse
    http://www.chegaqueremosrespeito.com
    Mostra sua cara!
    Não viva uma vida assim..azeda!

  83. Sonia Soares disse:

    “O” Usucapião é a aquisição da propriedade em decorrência do lapso temporal. A partir de 11 de janeiro de 2003, o código civil estabeleceu que, ao invés de esperar vinte anos para dar a entrada na ação de usucapião, a posse deve ser exercida por quinze anos. Em casos especiais, como quando a posse é domicílio, o prazo passa a ser de dez anos. Se o ocupante não possuir outro imóvel, o prazo cai ainda mais, desta vez para cinco anos.
    Art. 1.238. Aquele que, por quinze anos, sem interrupção, nem oposição, possuir como seu um imóvel, adquire-lhe a propriedade, independentemente de título e boa-fé; podendo requerer ao juiz que assim o declare por sentença, a qual servirá de título para o registro no Cartório de Registro de Imóveis.
    Parágrafo único. O prazo estabelecido neste artigo reduzir-se-á a dez anos se o possuidor houver estabelecido no imóvel a sua moradia habitual, ou nele realizado obras ou serviços de caráter produtivo.
    *
    A Katia, assim como os outros moradores, deveriam ter entrando com a ação de Usucapião há anos. Não é um processo leto, como imaginam.
    *
    Mas agora Inês é morta. Irregurlamente a Prefeitura demoliu as casas por se encontrarem em “área ambiental”, segundo eles. Existem meios de reverter o quadro? Claro que sim ! Em direito td é possível, a partir do momento que a Lei não retroaje para prejudicar, somente para beneficiar.
    *
    As famílias deveriam receber uma indenização por ter feito benfeitorias no local e o valor deverá ser corrigido fixado pela Justiça. Quem determina a demolição e valores indenizatórias é o Juiz e não a Prefeitura, no caso de construções irregulares.
    *
    Mas o valor seria necessário devido as benfeitorias e o tempo de permanência de cada família.
    *
    Acessei o site “Chega, Queremos Respeito” e observei todos as fotos, imagens da construção, etc. Pelo o que eu pude ver existe uma Cessão de Direitos, senão estou enganada, da construtora (?) para o pai da Katia, ou do proprietário do terreno. Isto, sendo no caso, a demolição totalmente ilegal.
    *
    Vou continuar observando os documentos no site. As imagens são muito pequenas para ler o documento. Mas vou tentar.
    *
    APROVEITANDO:
    para quem usou meu nome e já sei quem foi
    Não uso
    *********************************************************************************

    SOMENTE
    *
    para separar os parágrafos
    Mas, cretinice existe em todos os lugares, não é mesmo?

  84. Andre disse:

    Felipe

    Não tenho certeza disso. Se tudo que ela disse for verdade a Prefeitura terá que pagar, mas não creio que ela seja essa santa que algumas pessoas aqui pregam não.

    Alguém sabe quem foi que construiu aquela casa? qual o político importante na época tinha por trás?! hmmm, alguns sabem. E já era sabido que ali não era permitido, mas se tinham os políticos certos na manga naquela época pelo visto.

    O que eu vejo é o seguinte: o local realmente precisava ser demolido pois a prefeitura tem interesse agora em continuar a obra lá.

    Se ela tem direitos ou não, deve ser discutido na Justiça. O interesse público é superior. Mesmo que ela tenha a usucapião, como é interesse público, podia ser desapropriado, obviamente que neste caso teria que pagar indenização.

    Ai chegamos em uma parte legal, que a indenização é pelo valor venal…rsrs, mas não existe valor venal pois o imóvel era irregular, sequer com inscrição da obra.

  85. Simonn Lopes disse:

    Olá Katia;
    Não tenho visto mais matárias
    a respeitos do problemas;
    Caso acompanhe os recadinhos
    Estive fora por alguns dias, e aí;
    como as coisas estão indo;
    boa sorte a todos

    Lopes, simonn

  86. [...] aqui para ler mais partes da carta aberta da estrela de novelas como a recém-reprisada Pantanal no SBT [...]

  87. Estou fazendo a minha parte, jamais me calarei e tenho a consciencia tranquila.

    Minha Luta é a luta do meu povo!

    O que é meu de direito a mim voltará!

    E aqueles que foram vistos dançando, foram julgados insanos por aqueles que não podiam ouvir a música…”

    (Friedrich Nietzsche

  88. Sonia Soares disse:

    Uai ! Sei não ! Mas o Dudu, que eu saiba, vai construir um Flat no canal do Marapendi. Isto é legal? O que escutei, no ouvidinho é que o carissimo prefeito (com letra minúscula) vai dar o famoso jeitinho de acabar com a tal “área ambiental” no canal e em outros lugares.
    Hummmm ! Isso tá com o odor da Lagoa em dia de peixes mortos.

  89. O Terreirão no Recreio dos Bandeirantes está em Área de Especial Proteção Ambiental, em cima de ruas públicas e parte em área non-aedificandi, e mesmo assim foi declarado Área de Interesse Social, embora a Lei Orgânica do Municipio proiba. O Terrreirão se inciou quando a Companhia Litorânea de Imóveis loteou a Gleba C do Recreio, e seus empregados invadiram lotes da Gleba Finch (loteamento de 1929)na beira do Canal das Taxas. O início do Terreirão data de 1968, quando o Código Florestal (1965) já havia proibido construções nas margens de canais, rios, lagoas, etc. Todos os loteamentos dessa companhia na região, ao que parece, incentivaram as invasões.

    O bar de uma moradora na margem non-aedificandi, como a maior parte da favela do Terreirão, após uma ação de autoria ignorada, quando ela ganhou uma outra ação em todas as instâncias pela manutenção da posse, foi demolido por uma companhia particular sob a alegação de que impedia o fluxo do canal das Taxas, companhia essa que está fazendo um enorme condomínio no Canal do Rio Morto. Atualmente o local está cheio de entulho e ferro velho, sem que a Prefeitura faça coisa alguma

    Um peso e duas medidas. Por que será?

    Maria Lucia Massot

  90. Celso disse:

    Como se fala besteira!

    Usucapião? Essa “atriz” pode ficar 100 anos na sua invasão que não terá tal direito, pois a lei VEDA o usucapião em área pública ou de proteção ambiental. Não há que se falar em usucapião para ela.

    O problema é o jeito “malandro” e “esperto” com o qual muitos querem sempre levar vantagem e viver segundo as regras da Lei de Gérson.

    O dinheiro que ela usou para comprar ou construir aquela casa certamente teria dado para comprar um imóvel certinho, com escritura, no subúrbio ou na zona norte, mas não, ela preferiu tirar uma onda de “moradora da Barra” sem ter cacife para isso, então recorreu ao ilegal, como a maioria dos espertalhões dessa cidade faz. O que vale é a aparência, não é mesmo?

    Arriscou, usufruiu disso por um bom tempo, mas enfim sua casa caiu ! Que sirva de exemplo para inúmeros outros espertalhões, pobres, ricos e/ou classe média, que só pensam em levar vantagem enquanto espalham a desordem e o caos pela cidade !

    Salve o CHOQUE DE ORDEM !

    Agora que essa “atriz”, queeeeeeem?, chore na cama que é lugar quente, pois a desordem da sua invasão já era !

    Que façam o mesmo com o Terreirão e todos os demais invasores que destroem a região mais bela do RJ !

  91. OH CELSO,
    SE VC NÃO CONHECE A HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO E A NOSSA CULTURA É UM DIREITO SEU,TALVEZ CONHEÇA BEM AS CANTORAS DA BOQUINHA DA GARRAFA OU ALGO PARECIDO,FUTEBOL,FUNK E CARNAVAL COMO TODO BRASILEIRO ALIENADO. É SUA OPÇÃO!
    Quanto ao Uso Capíão vc tem razão, não cabe em terras públicas,o que vc não sabe é que aquela terra nunca foi pública até os anos 80.E se vc vir as fotos da casa no mesmo lugar em 1963, vc vai ver uma BARRA ONDE NINGUEM QUERIA MORAR.
    SE A BARRA CRESCEU E VIROU O QUE É,PODES CRER QUE FOI A DERROTA DO BAIRRO.NÓS PIONEIROS QUE NOS INSTALAMOS LÁ QUANDO ERA UM GRANDE MANGUE E LAMAÇAL E COM OUTRA LEGISLAÇÃO,QUE NOS DAVA O DIREITO DE ESTAR LÁ É QUE SABEMOS O QUANTO O BAIRRO FOI DESTRUIDO em sua natureza E INVADIDO ,ISSO SIM PELAS GRANDES CONSTRUTORAS QUE GANHARAM MILHÕES E DERAM MILHÕES PRA ESSES POLITICOS QUE NÃO RESPEITAM LEIS E DIREITOS.
    NÃO SE ILUDA,POIS ESSE TAL CHOQUE É DESCULPA PARA QUE ELES ENCHAM OS BOLSOS MAIS UMA VEZ.
    SE VC ESTÁ CEGO,ACORDA!
    ELES ESTÃO COM O PODER NAS MÃOS E JÁ FIZERAM PATRIMONIOS RICOS TIRANDO O DIREITO DOS POBRES E DA CLASSE MÉDIA COMO NÓS SEM INDENIZAR O QUE A LEI MANDA.
    TODAS ESTAS TERRAS QUE ELES ESTÃO GANHANDO NO GRITO,ESTÃO SENDO VENDIDAS POR BAIXO DOS PANOS PARA O SETOR IMOBILIARIO OU CONSTRUTORAS QUE PERTENCEM AOS LARANJAS DELES.
    MORAR NO SUBURBIO NÃO É NEMHUMA HUMILHAÇÃO.
    HUMILHAÇÃO É VER O CIDADÃO BRASILEIRO TRATADO COMO LIXO SEM SEUS DIREITOS RESPEITADOS.
    QUANTO A QUERER MORAR NA BARRA PARECE QUE VOCÊ ESTÁ MORRENDO DE INVEJA E TORCE PARA QUE SEU SEMELHANTE SEJA DESTRUIDO PELO QUE CONQUISTOU E VOCÊ NÃO CONSEGUIU.Qualquer estudante de piscologia sabe do seu carater.
    TORCER PARA QUE O PODER CONTINUE DESRESPEITANDO O CIDADÃO E PRATICANDO ATOS NAZISTAS E ARBITRARIOS É TIPICO DE GENTE ALIENADA E MESQUINHA QUE UM DIA PODE VIR A SER MAIS UMA VITIMA DESSE TIPO DE GOVERNO.
    ESPERA PRA VER!
    Quanto a Katia D’Angelo atriz, dá um passeio no Google que voêc talvez aprenda mais tambem sobre o maravilhoso Cinema e a Cultura Brasileira que cidadões como você deviam conhecer e valorizar.
    É por isso que o Brasil está como está, quanto mais ignorantes melhor para eles roubarem.
    E mais,não preciso morar na BARRA DE GRAÇA ,JÁ MOREI NA SUIÇA,NA ARGENTINA,NA FRANÇA,NO MARROCOS E NA INGLATERRA ,SOU UMA ESTUDIOSA E VOU ONDE QUISER!
    Paises esses que você deveria um dia conhecer para saber o que é CIDADANIA!OK?
    No resto,vai estudar meu irmão!ou será que você tambem já está no partido clandestino Nazista que se instaurou no Brasil? besteira ta falando você!
    Que ainda por cima não tem sobrenome e nem cara.

  92. Também morei na Europa quando moça e aprendi o que é cidadania. Aqui no Brasil vivemos numa ditadura civil disfarçada. Como arquiteta formada e com CREA, também perdi meu patrimônio, legalmente construido e com RGI, pois o Eduardo Paes, quando subprefeito colocou um conjunto popular ilegal no terreno em frente ao meu. Após 11 anos ganhei em todas as instâncias indenização pela desvalorização de meu imóvel, e pela desordem urbana no local, mas como será pago em precatório,não sei quando receberei . O Favela Bairro do Terreirão foi implantado em 1996, para beneficiar grandes construtoras. O Eduardo Paes escolheu o lote e mandou levantar as casas sem licença (mesmo a Prefeitura é obrigada a se licenciar). Vejam o discurso do Sirkis na Câmara dos Vereadores colocado por mim acima. Agora estão demolindo no entorno de um condomínio de luxo como estava combinado desde 1993, na permuta da Prainha.

    Para entenderem o que se passa na cidade, vejam o site: http://favelabairro.orgfree.com – Favela Bairro, a falência de uma política habitacional, o outro lado que não é contado pelas autoridades.

    Por lutar pelos meus direitos passei a ser difamada, escorraçada de meu imóvel, que fui obrigada a vender por qualquer preço. O mesmo estão fazendo com a Kátia Dantelo.

    A estória do Recreio é recheada de grilagem, e agora o MP me processa porque denunciei promotores coniventes com a bandidagem que se instalou no local. Fui presa e algemada pelo chefe do P2 do 31º BPM, o atual capitão Carlos Eduardo de Oliveira Bastos, que invadira e levantava, na época uma mansão duas ruas depois do Terreirão, após denunciá-lo e a outros policiais, inclusive o então comandante do 31BPM pelo tratamento dispensado a mim. Denunciado por mim ao MPRJ em 2005 por parcelamento irregular do lote e em 2006 por possuir um patrimônio muito acima do que poderia ter com seu soldo, os inquéritos se arrastam no MP sem solução.

    Parabéns à Kátia. Apenas nós mulheres de fibra poderemos mudar esse país.

  93. 11comentário(s) para esta matéria (no Jornal O Globo)
    Confira carta aberta da atriz Katia D’Angelo para o prefeito Eduardo Paesantonio carpuma souza santos
    25/01/2009 – 19h 24m

    Paes é ligado a construtoras e empreiteiras. Ele acabará com qualquer tombamento e APAC que seja de interesse deste poderoso grupo, para a construção de novos espigões que irão entulhar nossa cidade. Dou um exemplo: você gosta da Cobal do Leblon ou do Humaitá? Com Paes, diga adeus a elas.

    DENER GIOVANINI
    25/01/2009 – 18h 59m

    Kátia D´Angelo está coberta de razão em suas argumentações. Atuo a mais de 25 anos na área ambiental e possuo discernimento suficiente para perceber o show pirotécnico que existe atrás da iniciativa do prefeito Eduardo Paes. Alguns homens públicos optam por chamar a atenção disparando tiros de canhão em formiguinhas… típico de quem quer dar algum tipo de satisfação inútil para o movimento ambientalista. Enquanto tentam matar formiguinhas as ratazanas fazem a festa nos palácios da cidade…

    Antonio carpuma souza santos
    25/01/2009 – 18h 24m

    E AS FAVELAS?
    E AS NOVAS FAVELAS QUE ESTÃO SURIGINDO. A PARTIR DE HOJE VOU ANDAR COM MINHA CAMERA E SAIR FOTOGRAFANDO TUDO!!!

    REMOVA AS FAVELAS! DEIXE ESSAS PESSOAS EM PAZ!

    Marco Antonio H de Menezes
    24/01/2009 – 17h 56m

    Eu não tenho condições para ajudar a não ser demonstrar aqui minha indignação. Kátia está certa em tudo o que escreveu e tem o direito de reclamar e clamar por justiça. Espero que esta carta surta efeito não só nas questões ligadas ao ato do atual prefeito, como também nas outras questões pessoais.

    VoltaDEMOCRACIA
    24/01/2009 – 15h 57m

    Distribuem bolsa-ditadura para bajuladores e amigos do PT, pessoas abocanhando milhões, desperdiçando o dinheiro dos nossos impostos. Aposto que se a Kátia saísse por ai pedindo “luladenovo” e dizendo que “nuncaantesnestepaís se ajudou tanto ospobre”, ela entraria no grupo de comunistas com indenizações milionárias, polpudas diárias de viagens, emprego no governo. O Brasil se divide em 2 classes: COMUNIZADORES(ricos isentos de impostos) e COMUNIZADOS(inimigos do PT e pobres, pagando impostos)

    gabi1702
    24/01/2009 – 13h 31m

    Vc realmente acha que Eduardo Paes vai ser maco o bastante para enfrentar os grandes???

    Ele é passivinho, Sérgio Cabral mandou ele beijar a mão do “grande mestre” Sarney e agradecê-lo, só não beijou pq Sarney rejeitou, mas ele já estava em posição de dar a bitoca. PATÉTICO!!

    Aos de classe baixa que votaram nele, só tenho a lamentar e que isso sirva de lição para pensarem em quem votar nas futuras eleições.

    caragema
    24/01/2009 – 12h 46m

    poois é , é muito facil ser durão com quem não recebe o estado a bala.Se ela está em lugar indevido , precisa realmente sair , mas e os outros ?

    vão tirar todos os imoveis ilegais da cidade ? vão demolir todos ? TOMARA ! mas que mostrem coragem começando por aqueles onde os moradores recebem o,estado a bala, após isto sim , haverá credibilidade para aplicar a lei nos demais .

    Mas porque diabos a Katia dangelo RESOVEU VOLTAR para esta cidade maldita , depois de estar vivendo na frança ?

    amauri jorge nunes coelho – email
    24/01/2009 – 12h 04m

    Esse fanfarrão vai demolir também todos os barracos que estão na Rocinha, Vidigal, Morro do Boréu, Morro da Formiga e outros onde existe reserva de mata atlântica?
    É a necessidade de aparecer e mostrar sque está trabalhando, mas infelizmente contra o povo do Rio de Janeiro. Não aguento mais palhaçadas, é hora de botar o bloco na rua e ter atitude contra esta desgovernança nacional.

    Day_bio
    24/01/2009 – 09h 56m

    Esse Eduardo Paes!!! digo novamente!!! votem nele novamente!!! povo burro tem que sofrer… vomos ver se ele terá alguma atitude corrtea dessa vez… ditador! acho que ele esqueceu que estamos em uma época de democracia… ordem e respeito sim! mas com planejamente e senso! boa sorte para Katia e processo no ESTADO!

    ORELHÃO
    24/01/2009 – 04h 13m

    Pau que bate em Chico, bate em Francisco também, mas quem mora (se comprovado) num local há 50 anos já é dono. Não é porque se trata de uma pessoa pública que vamos torcer contra.

    marcus969
    24/01/2009 – 02h 28m

    derruba tudo paes!!!!!!!!!!!!!

  94. retirado do site: http://www.nominimo.com.br
    Sexta-feira, 06 de setembro de 2002
    A vitória da baderna
    06.Set.2002 | Na próxima semana, quando acampar na porta do prefeito Cesar Maia, a arquiteta Maria Lúcia Massot espera fazê-lo sentir um pouco do que tem experimentado nos últimos oito anos, desde que ele plantou-lhe diante de casa uma favela que lhe tornou a vida um inferno e a expulsou do lugar onde decidira viver. “Se ele pode fazer isso comigo, por que não posso fazer com ele?”, questiona Maria Lúcia, com a disposição de quem já despejou uma caçamba de entulho ao lado da casa do então prefeito Luiz Paulo Conde, só para lembrá-lo de que a porta da sua não era vazadouro de lixo.

    Vem de longe a história dessa mulher de 58 anos, mais de 100 quilos e fôlego de maratonista. Há 18 anos, quando o Recreio dos Bandeirantes era uma terra inóspita na cidade e a imobiliária Litorânea uma companhia saudável, ela comprou um terreno. A ocupação da região havia sido planejada por Lúcio Costa, respeitado urbanista que produziu obra aplaudida por sábios do assunto em congressos internacionais. Quando Maria Lúcia empilhou os primeiros tijolos no terreno de pouco mais de 600m2, em volta era tudo mato. Mas nos planos de Lúcio, a área em frente, de 7 mil m2, estava destinada a um condomínio de 25 casas. Era 1984 e de sua terra se podiam ver alguns casebres de pescadores, a meio caminho da praia, distante algo como 500 metros.

    Os 10 anos seguintes, Maria Lúcia gastou em cimento e lágrimas. Inflação alta, dinheiro curto, o lugar era longe. Nas suas contas, porém, o resultado seria positivo. Afinal, já havia percorrido um pedaço do mundo. Trabalhara nas embaixadas do Brasil em Paris e Atenas, no escritório da Petrobras em Paris. Os dólares do cofrinho estavam virando paredes, enquanto à volta, aqui e ali, brotavam construções de boa qualidade. Eram os pioneiros da valorizada gleba C, região absolutamente plana no Km 19 da avenida das Américas. De longe, ainda, dava para ver os primeiros sinais da baderna urbana que viria: a cada semana mais barracos se enfileiravam na margem do canal da Taxas.

    Quando deu-se por satisfeita com sua obra, uma construção simples, porém sólida, Maria Lúcia resolveu transformar a calçada em jardim. Plantou grama, árvores, flores, olhou para tudo aquilo e concluiu que tinha valido a pena. Era 1995. A cidade vivia a primeira encarnação de Cesar Maia na prefeitura e em seis meses o prefeito plantou-lhe uma favela à porta da casa. “Foi uma selvageria, um desrespeito. Eles removeram 66 barracos do canal e, não sei como, juntaram mais gente e botaram 81 casas aqui. Fizeram esse monstrengo”, revolta-se a arquiteta. Não é para menos.

    O prefeito não só empilhou 81 casas no espaço destinado a 25, como passou batido por quase todas as posturas municipais que regem as construções. Portas, janelas, altura de prédios, muros, afastamentos, tudo ali está em desacordo. É a mais clara exibição de que, do ponto de vista do poder público, não são os brasileiros iguais perante a lei. De um lado da rua, onde está a casa de Maria Lúcia, o município exige que a calçada tenha três metros de largura. No lado da favela, o prefeito botou as casas sobre a calçada e deixou 1,5 metro para as pessoas andarem.

    Esse regime de absurdos bateu um dia à porta da arquiteta para dizer-lhe que não poderia construir nos fundos de casa um canil com mais de 1,5 m2, sem pagar a licença de obra à prefeitura. Ela pagou. No outro lado da rua, desde que foram entregues, várias casas já tiveram as fachadas transformadas para instalar biroscas, açougues e lojas de consertos de bicicletas. Na terça-feira, 3, um morador dessa zona livre de impostos erguia mais um andar em sua casa. Não tinha projeto, licença ou visitas da prefeitura. Separa esses dois mundos uma rua com seis metros de largura. Parece piada. Talvez por isso, ocorra na rua Leon Eliachar, humorista que publicava uma página semanal na extinta revista Manchete e, não raro, manifestava perplexidade diante do exótico.

    A prefeitura que exibe nos jornais trabalho contínuo para conter as favelas é a mesma que ali incentiva o crescimento. Na continuação da Barra da Tijuca, quando se chega ao Recreio dos Bandeirantes, por trás dos edifícios e shoppings alinhados ao longo da avenida das Américas viceja a ocupação desordenada. Principalmente para o lado da praia. Na faixa de terra que o Plano Lúcio Costa destinou ao que seria Barra Bonita, multiplicam-se os loteamentos clandestinos, a grilagem de terra e as construções ilegais. A Litorânea, grande proprietária da área, foi para o ralo e a maior parte de seus terrenos está inscrita na dívida ativa do município por falta de pagamento do IPTU. Pelo tamanho da conta, a terra já pertence à prefeitura, o que só abre a porta à baderna.

    A passagem do projeto Favela Bairro pela área – com o secretário de Habitação, Sérgio Magalhães, caçando votos de microfone em punho – deitou asfalto das ruas informais e deixou as ruas previstas do bairro com a mesma lama de antes. Apenas repetiu o resultado do programa em todos os lugares: favoreceu a especulação imobiliária. As lajes estão sendo negociadas por R$ 30 mil, em média. A venda de lajes é uma modalidade ilegal de negócio produzida pela pressão imobiliária nas favelas do Rio. Nasce da seguinte maneira: uma pessoa constrói um barraco de alvenaria e, em lugar de telhado, cobre-o com uma laje de concreto pré-moldado. Vende o barraco para um e, para outro, o direito de construir sua morada sobre a laje.

    Mas não só lajes e barracos entraram em alta na área do Terreirão. Dezenas de edifícios estão em fase de acabamento. Raros são os licenciados pela prefeitura. Pertencem a políticos, policiais, pequenos empresários. Tem de tudo. O deputado Domingos Frazão é dono de um, “mas botou em nome do tio dele”, informa o vizinho do lado. É um prédio de seis andares divididos em kitinetes à venda por R$ 35 mil cada. A expansão acelerada une as favelas à do Terreirão, maior delas, num complexo. Durante o dia, oferece comércio como a rua da Alfândega, no Centro da cidade. À noite, tráfico como o morro do Alemão, na Zona Norte, e muito funk e forró.

    Na música, começaram os desentendimentos entre Maria Lúcia Massot e seus novos vizinhos. Na terceira madrugada seguida sem dormir chamou a polícia. Não aguentava mais o volume do funk que saía dos alto-falantes que o dono de uma birosca em frente havia posto na calçada. Descobriu, então, que a lei do silêncio só tinha vigência no seu lado da rua, mas não desistiu. Queixou-se ao prefeito, à Polícia Militar, ao Ministério Público e não conseguiu nada, além da indisposição da vizinhança. Um dia, cansados daquela mulher que insistia em dormir nas noites de sexta, sábado e domingo, os vizinhos apedrejaram-lhe a casa e ela resolveu pular fora enquanto tinha pernas para correr.

    Da Justiça, obteve apenas a redução do IPTU à metade. Paga agora R$ 1 mil por ano. Pediu indenização por danos morais, mas perdeu. “E ainda tive de ouvir o advogado da prefeitura me dizer, na frente do juiz, que eu tinha toda a razão”. Perito nomeado pela Justiça avaliou sua casa em 147 mil Ufir, hoje R$ 178 mil. Só o terreno, em ruas próximas sem favela à porta custa R$ 200 mil. Maria Lúcia sabe que, se insistir, poderá conseguir que a prefeitura desaproprie sua casa, mas vai receber em precatório, ou seja, talvez nunca ponha a mão no dinheiro. “Quanto tempo ainda me resta? É muito difícil recomeçar aos 58 anos”, conclui.

    Hoje ela vive num apartamento alugado e paga o caseiro, Sílvio, para alimentar e cuidar dos cachorros que ficaram na casa. Quase todos os dias, ao volante de uma camioneta empoeirada, percorre o lugar que há 18 anos escolheu para erguer sua casa. Xinga grileiros e reclama no 31º Batalhão da PM que as leis de trânsito não estão sendo respeitadas. A polícia promete-lhe providências, mas os caminhões de frete continuam estacionados nas esquinas e as vans sobre as calçadas da praça, na avenida Niomar Bitencourt. Ela fotografa tudo e mostra na página que um amigo americano a ajudou a construir na Internet (endereço abaixo). Notícias, artigos, denúncias sobre a desordem urbana do Rio de Janeiro ela remete por e-mail para milhares de destinatários. Sempre lembrando que o prefeito, na campanha, prometeu um choque de ordem na cidade.

    Há alguns meses, Maria Lúcia lembrou que Cesar Maia, quando mudou para um endereço nobre na praia de São Conrado, fez calar um trailer que, à noite, tocava música perto de seu prédio. A idéia não a abandonou mais. Comprou uma barraca numa lojinha de camping, um lampião, pequenas tralhas de acampanhamento e já planeja o desembarque. Não vai abrir o som do funk, porque não gosta do gênero, mas talvez possa até fazer um churrasquinho. Se o prefeito desarrumou-lhe completamente a vida, ela está decidida a perturbar um pouco a dele. É possível que não consiga nada, mas vai ser divertido.

  95. Sites relacionados
    Favela Bairro
    http://favelabairro.orgfree.com
    Texto em questão: A vitória da baderna
    Sábado, 14 de setembro de 2002

    no mínimo – Fala Leitor com Salomão Antunes

    De: Gilmar Pacheco Rezende
    Para: Xico Vargas

    Prezado Xico,

    Na maioria das vezes em que a prefeitura se mete, dá nisso, um prefeito em busca de votos cria um projeto que literalmente chama a todos de favelados, seres do submundo e o povão gosta. Favela bairro, francamente.
    Mas o pior é que o prefeito tem razão, não poderia dar-lhe nome diferente. Pagar R$ 35.000,00 (se entendi bem) Para morar em cima dos outros é coisa de burro, com essa grana eu compraria um sítio por aqui no ex-distrito São José (…).
    O que me deu mais raiva no caso da Sra. Maria Lúcia, foi o fato de ter sido expulsa de casa por esses macacos, não negros e nem macaquitos, simplesmente macacos. Sou inteiramente contra a violência, mas numa hora destas dá vontade de metralhar todo mundo.(…)
    Esse texto não tem qualquer apologia ao preconceito, mas sim ao conceito real dos fatos. Pobreza, riqueza, cor ou religião não têm nada a ver com isso. Índole sim.

    Salomão comenta:

    Gilmar,

    Essa sua vontade de metralhar vizinhos inconvenientes não deixa de ser um sentimento humano. É mais ou menos o que sentem judeus e árabes na Cisjordânia, com a diferença de que lá eles não ficaram na intenção.
    O problema é que, como se nota na Palestina, depois do primeiro tiro ou da primeira pedrada fica difícil voltar a ter um fim de semana tranqüilo na vizinhança. É bem pior que baile funk.

    De: Claudia Aguiar
    Para: Xico Vargas

    Sou carioca migrada para Petrópolis. Gostaria de parabenizá-los pela matéria e informar que aqui em Petrópolis a coisa não é diferente. Lutamos há muito tempo junto ao poder público por uma real política de habitação popular sem qualquer êxito.
    As invasões são constantes e incontroláveis, o poder público omisso e as cobranças para licenciamento de obras quase impossíveis. Por um lado fecham os olhos para as invasões e por outro erram duplamente ao emitir licenças em locais de preservação ambiental (…).
    A cidade enfrenta problemas sérios como falta d’água, poluição de nascentes e rios, inundações (vide a calamidade no Natal )…. e nada de soluções. Coloco-me ao seu dispor para troca de informações. Sou diretora de Educação Ambiental do SOS Piabanha Petrópolis e faço parte do Conselho Gestor da APA Petrópolis.

    De: Jorge Geisel
    Para: Xico Vargas

    Prezado Xico Vargas,

    Meus sinceros parabéns pela brava reportagem sobre as vicissitudes e sofrimentos de Maria Lúcia Massot, um raro exemplo de resistência à baderna e degradação urbana instalada no Rio de Janeiro, graças à irresponsabilidade administrativa movida pelos interesses da corrupção eleitoreira, durante anos a fio.
    Por outro lado, seu empenho jornalístico em pról da Cidadania e da Verdade, também é um exemplo digno de ser reconhecido por todos nós, habitantes de uma cidade carente de amor, de paz e de governo.
    Um abraço, Jorge Ernesto Macedo Geisel
    jorgegeisel@hotmail.com

    Salomão comenta:

    Ernesto Geisel,

    Você disse tudo: corrupção eleitoreira. Copacabana também já foi um vazio paradisíaco, transformado em mercado de interesses imediatos.
    O chato é que, nesse negócio de ocupação do solo, a autoria da esculhambação, com o tempo, fica que nem cabelo em sabonete: ninguém sabe direito de quem é.

    Vitória da baderna II – O que fazer?

    De: Ana Paula

    Estou solidária ao caso de Maria Lúcia, mas vejo que a cada dia que passa a situação fica mais difícil. Minha pergunta é: O que fazer?

    [mailto:apdp24@hotmail.com]

    Vitória da baderna III – Vale de lágrimas

    De: Marco Souza

    Caro Xico,

    Tendo em vista que os políticos continuarão sempre os mesmos, e, pior, que se desenha no horizonte de nosso estado uma neo Evita com seu Peronzinho, só resta a Maria Lucia admitir que este vale não é chamado de lágrimas sem motivo… . .
    abs,
    ma
    mailto:marcosouza@infolink.com.br]
    Vitória da baderna IV – Realismo

    De: Sávio Garcia Pimentel

    Prezado Xico Vagas,

    Escrevo esta mensagem apenas para parabenizá-lo pelo brilhante texto relatando o drama vivido pela moradora Maria Lúcia e o pouco caso de nossa gestão municipal. É muito difícil encontrarmos alguém que seja tão objetivo, sério e realista ao abordar esta nossa triste mazela social.
    Parabéns por seu excelente serviço!

    saviogarcia@hotmail.com

  96. Maria Lucia, sou totalmente a favor de sua luta ,quando a arbitrariedade se manifesta na forma dos podres poderes atinge a todos nós povo,cada um com sua história leva seu prejuizo,menos eles que só levam o lucro.Não vamos fazer o jogo que eles querem a nos jogar uns contra os outros usando a imprensa tendenciosa para isso,ao contrario, vamos nos unir em força popular e exigir que as leis sejam respeitadas. Vc tem o direito de viver em Paz e ter seu patrimonio valorizado ou indenizado pelo mal que lhe causaram, os pobres e favelados tem o direito de receber do estado as possibilidades de moradia digna e emprego para a familia.Cada um com seus direitos.Vamos começar cobrando que eles construam predios populares e financiem propriedades a baixo custo para toda familia removida .
    QUE A LEI ORGANICA DO MUNICIPIO SEJA RESPEITADA NAS REMOÇÕE.
    Planejamento para novas familias que se formarão.É mais lucrativo para eles construirem viadutos e pontes e cidades da musica que hospitais,escolas e moradias. Se você permitir que eles sejam Nazistas com aqueles que te incomodam ,tambem serão com você.Conte comigo para a sua luta tambem.

  97. Kátia,

    Veja o site http://favelabairro.orgfree.com e participe do Forum Recreio/Barra Livre (http://www.grupos.com.br/group/recreiolivre. Lá poderá ver que a minha luta não é contra pobre mas contra essa política imoral que nada tem de habitacional. O planejamento urbano no Rio se resume a invasões de áreas públicas para os pobres e compra de imóveis caros demais para a classe média. Sou arquiteta formada, obviamente fui a favor da proposta do Favela Bairro no Rio, mas a proposta nada mais é do que um engodo. No Recreio pobres, ricos, classe média conviviam pacificamente antes das intervenções governamentais. Basta a Prefeitura intervir em algum local para destruturar todo o local.

    Certamente você ainda não entendeu o que estou falando. Sei que é difícil, sobretudo porque o site é muito grande. Mas para entender o que digo, é preciso ler o site.

    Morei também na Europa 5 anos, já viajei bastante e posso afirmar que se antes tínhamos uma ditadura militar hoje temos uma ditadura civil camuflada de “democracia”.

    A minha luta não é minha. É de todos os que têm compromisso com a cidade, com moradia digna e contra o poder autoritário instalado nesse Estado, e no país.

    Também propus que a Prefeitura adquirisse minha casa para fazer um Espaço Cultural. Ignorou.

    Aqui eu lutei contra policiais envolvidos com grilagem e milícia, contra promotores públicos, e sobretudo contra esses políticos que se aproveitam da mídia e de pessoas sem percepção do que se passa na cidade para jogar uns contra os outros.

  98. Sonia Soares disse:

    Essa gente que aparece agora tripudiando da desgraça dos outros não lembra que a vida é um espelho.
    BATE E VOLTA
    e qdo volta, volta muito pesado
    É bom parar com essas coisas, antes ninguem se manifestava pessoalmente com a Kátia ou outros. Pq agora?
    Procurem o que fazer

  99. Kátia,

    Lutar sozinha não leva a lugar nenhum. Esse foi o erro dos moradores do entorno do Terreirão, agora dominado por milícias, grileiros. Está aí nos jornais. A imprensa é tendenciosa, mas muitas vezes tb séria. Tanto que colocou duas matérias mostrando um ex-chefe do P2 do 31º Batalhão que invadiu um terreno particular com RGI, construiu um casarão, dividiu o terreno com um subalterno cabo da PM (assassinado na Lagoa) e embora tudo devidamente denunciado por mim ao MPRJ, até hoje nada lhe aconteceu. Já enviei vários e-mails ao Prefeito Eduardo Paes para demolir a construção ilegal (a proprietária está movendo uma ação de reintegração de posse) mas não responde. Como vê, você tem seu valor, mas para entender o que eu estou dizendo só vindo ao Recreio. Não preciso utilizar sua página. Nem estou jogando uns contra os outros, é preciso conhecer o que se passa na região para poder discutir sobre política habitacional. Se quiser me contatar estou à disposição.

  100. “… Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim e não dizemos nada.
    Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão e não dizemos nada.
    Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta e não podemos dizer nada”.
    Vladimir Maiakovski (poeta russo)

  101. OH CELSO,
    SE VC NÃO CONHECE A HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO E A NOSSA CULTURA É UM DIREITO SEU,TALVEZ CONHEÇA BEM AS CANTORAS DA BOQUINHA DA GARRAFA OU ALGO PARECIDO,FUTEBOL,FUNK E CARNAVAL COMO TODO BRASILEIRO ALIENADO. É SUA OPÇÃO!
    Quanto ao Uso Capíão vc tem razão, não cabe em terras públicas,o que vc não sabe é que aquela terra nunca foi pública até os anos 80.E se vc vir as fotos da casa no mesmo lugar em 1963, vc vai ver uma BARRA ONDE NINGUEM QUERIA MORAR.
    SE A BARRA CRESCEU E VIROU O QUE É,PODES CRER QUE FOI A DERROTA DO BAIRRO.NÓS PIONEIROS QUE NOS INSTALAMOS LÁ QUANDO ERA UM GRANDE MANGUE E LAMAÇAL E COM OUTRA LEGISLAÇÃO,QUE NOS DAVA O DIREITO DE ESTAR LÁ É QUE SABEMOS O QUANTO O BAIRRO FOI DESTRUIDO em sua natureza E INVADIDO ,ISSO SIM PELAS GRANDES CONSTRUTORAS QUE GANHARAM MILHÕES E DERAM MILHÕES PRA ESSES POLITICOS QUE NÃO RESPEITAM LEIS E DIREITOS.
    NÃO SE ILUDA,POIS ESSE TAL CHOQUE É DESCULPA PARA QUE ELES ENCHAM OS BOLSOS MAIS UMA VEZ.
    SE VC ESTÁ CEGO,ACORDA!
    ELES ESTÃO COM O PODER NAS MÃOS E JÁ FIZERAM PATRIMONIOS RICOS TIRANDO O DIREITO DOS POBRES E DA CLASSE MÉDIA COMO NÓS SEM INDENIZAR O QUE A LEI MANDA.
    TODAS ESTAS TERRAS QUE ELES ESTÃO GANHANDO NO GRITO,ESTÃO SENDO VENDIDAS POR BAIXO DOS PANOS PARA O SETOR IMOBILIARIO OU CONSTRUTORAS QUE PERTENCEM AOS LARANJAS DELES.
    MORAR NO SUBURBIO NÃO É NEMHUMA HUMILHAÇÃO.
    HUMILHAÇÃO É VER O CIDADÃO BRASILEIRO TRATADO COMO LIXO SEM SEUS DIREITOS RESPEITADOS.
    QUANTO A QUERER MORAR NA BARRA PARECE QUE VOCÊ ESTÁ MORRENDO DE INVEJA E TORCE PARA QUE SEU SEMELHANTE SEJA DESTRUIDO PELO QUE CONQUISTOU E VOCÊ NÃO CONSEGUIU.Qualquer estudante de piscologia sabe do seu carater.
    TORCER PARA QUE O PODER CONTINUE DESRESPEITANDO O CIDADÃO E PRATICANDO ATOS NAZISTAS E ARBITRARIOS É TIPICO DE GENTE ALIENADA E MESQUINHA QUE UM DIA PODE VIR A SER MAIS UMA VITIMA DESSE TIPO DE GOVERNO.
    ESPERA PRA VER!
    Quanto a Katia D’Angelo atriz, dá um passeio no Google que voêc talvez aprenda mais tambem sobre o maravilhoso Cinema e a Cultura Brasileira que cidadões como você deviam conhecer e valorizar.
    É por isso que o Brasil está como está, quanto mais ignorantes melhor para eles roubarem.
    E mais,não preciso morar na BARRA DE GRAÇA ,JÁ MOREI NA SUIÇA,NA ARGENTINA,NA FRANÇA,NO MARROCOS E NA INGLATERRA ,SOU UMA ESTUDIOSA E VOU ONDE QUISER!
    Paises esses que você deveria um dia conhecer para saber o que é CIDADANIA!OK?
    No resto,vai estudar meu irmão!ou será que você tambem já está no partido clandestino Nazista que se instaurou no Brasil? besteira ta falando você!
    Que ainda por cima não tem sobrenome e nem cara.

  102. Lucca disse:

    Celso…
    Lembrei-me deu musiquinha do programa do Raul Gil…
    ” Vc não acertou…pegue seu banquinho…e saia de mansinho…”
    Vc é um bola fora!
    Nada entende, entende nada!
    esceve sem apoio, sem base tece comentários.
    cresça! Apareça!
    Solidariedade agora!
    Não espere algo de ruim acontecer com vc, para que seus pensamentos sejam mudados…
    http://www.chegaqueremosrespeito.com

  103. Katia,

    Ganhei em todas as instâncias a indenização pela desvalorização de meu imóvel. Vão pagar em precatória com nossos impostos.
    Você acha que adianta indenização? Vão continuar enquanto a população olhar seu próprio umbigo. Porisso esse políticos continuam enternamente nessa ditadura civil clamuflada de democracia.

  104. Jornal O Dia, domingo, 9 de maio de 1999

    A indústria das invasões

    Ocupação de áreas públicas e privadas resultam em favelas na Barra e Recreio
    Luiz Ernesto Magalhães

    A expansão imobiliária da Barra da Tijuca e do Recreio dos Bandeirantes
    acontece em paralelo a uma outra, que nada tem de emergente. As invasões de
    locais públicos e construções em terrenos particulares, sem autorização do
    poder público, provocaram o surgimento de 13 favelas e 12 loteamentos
    irregulares ou clandestinos. Os bastidores da ilegalidade misturam um
    passado de negligência da prefeitura para reprimir o que é ilegal,
    oportunismo de grileiros e credulidade ou desespero de quem invade. E, em
    meio a isso tudo, ocorrem demoradas brigas na Justiça para acabar com
    antigas invasões.

    Na Barra, as ocupações irregulares são mais antigas e delas não escapam nem
    os emergentes. Entre os casos, há uma área na Avenida Armando Lombardi, que
    consta como pública para a prefeitura, e reivindicada na Justiça pela
    família de Vera Loyola. No Recreio, até terça-feira passada, lotes
    desdobrados de um terreno público eram vendidos por R$ 8 mil, mais 36
    prestações mensais de R$ 250. Da Praia do Pepê ao Pontal, há casas, lojas
    comerciais e boates funcionando no que deveriam ser praças, escolas,
    hospitais ou simplesmente deveriam ser terrenos desocupados.

    A situação chegou a um ponto em que não se sabe quantas pessoas moram
    ilegalmente na área. “Chegam a 20 mil”, estima o ex-subprefeito da Barra da
    Tijuca, Luiz Guaraná. “Devem ser cerca de 10 mil”, arrisca o atual
    subprefeito, Rodrigo Bethlem. Para tentar acabar com o problema, Rodrigo
    está fazendo um levantamento do que é área pública invadida. Com o início do
    trabalho, em março, começaram também as ameaças de morte, por telefone,
    contra Rodrigo e assessores. “Ligaram até para a minha casa”, contou o
    assessor da subprefeitura Pedro Bret. Muitas ocupações estão sendo alvo de
    disputa judicial. Na prefeitura, a responsabilidade é da procuradoria-geral
    do município, que não quis se manifestar sobre os casos.

    —————————————————————————-
    —-

    Promoção: lotes ilegais a R$ 18 mil

    · A oferta parecia tentadora: lotes com 200 metros quadrados, por R$ 18 mil,
    na Via 4 do Recreio, perto do Fla-Barra, com tudo legalizado para construir.
    Registrado como terreno público, mas consta como área de preservação
    ambiental nos arquivos do município. Os lotes clandestinos eram oferecidos
    até a semana passada. Está tudo em dia. São 46 unidades e temos mais da
    metade vendidos. São R$ 8 mil de entrada”, informou um vendedor que se
    identificou como Adilson Filho, no telefone fornecido para Informações. Em a
    segunda tentativa de loteamento. “Há seis anos derrubei uma casa lá”, diz o
    ex-subprefeito Luiz Guaraná.

    O atual subprefeito, Rodrigo Bethlem, descobriu a invasão quando O DIA foi
    confirmar a história nos registros públicos. Na terça feira, a Guarda
    Municipal foi ao local derrubar duas casas. Só deu tempo de destruir uma. O
    policial civil Ricardo Pazeli apareceu garantindo ter comprado o terreno da
    herdeira da área, Ana Maria José Gonçalves dos Santos. A demolição foi
    suspensa e o caso foi parar na 16a DP. O subprefeito promete derrubar a casa
    restante até o fim desta semana. “Vou pesquisar os registros de Imóveis. O
    problema pode ser igual ao do terreno do Canal das Taxas”, disse Rodrigo.’

    —————————————————————————-
    —-

    Nem Favela-Bairro escapa dos grileiros

    No Recreio, não escapa nem área do Favela-Bairro, criado para regularizar
    ocupações ilegais e evitar que continuem em expansão. Lotes de um terreno
    público, em frente à 7ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM),
    são alugados para comerciantes, pelo advogado Carmindo da Conceição Santos,
    apontado como grileiro pela administração regional da Barra. Em parte, a
    culpa é da própria burocracia municipal. Por lei, ao dar entrada em pedido
    de loteamento, o interessado é obrigado a doar parte da área para o
    município. Só que ali o processo nunca foi concluído no Registro de Imóveis.
    A área foi loteada em 14 de abril de 1970 (há 29 anos e 25 dias), conforme
    constatou O DIA em consulta aos arquivos do 9º RI.

    “Desconhecia a ausência de registro. Pode ser que outras áreas, em que os
    invasores afirmam ser proprietários, esteja acontecendo o mesmo. Vamos
    investigar”, disse Rodrigo Bethlem.

    Mesmo se a área ainda tiver em seu nome, como alegou Carmindo em entrevista
    ao DIA, nada pode ser feito. “Mesmo sem registro, a prefeitura é a
    proprietária. Tirar vantagem de uma situação dessas é estelionato”, diz o
    advogado João Tancredo.

    —————————————————————————-
    —-

    Advogado cobra R$ 250 por aluguel

    Segundo moradores, Carmindo Santos alugou terrenos públicos por R$ 250 ao
    mês. “As pessoas até desconfiam de que a prefeitura está certa e de que
    foram vítimas de um golpe. Mas Carmindo garante que a área é dele”, diz um
    morador, que pediu para não ser identificado. Carmindo confirma a briga na
    Justiça com a prefeitura. “Nunca construí nada ilegal. Sou advogado e
    conheço a lei. Todos os imóveis que eu negocio são registrados. A prefeitura
    está agindo ilegalmente. Eu mesmo já tive lotes invadidos” defendeu-se.

    O advogado já tentou enganar a polícia. Em novembro de 1998, durante festa
    de aniversário da filha de 16 anos, irritado com a tentativa de adolescentes
    que queriam invadir o local, fez disparos a esmo na rua. Um menor foi
    ferido. Na 16ª DP (Barra) se apresentou com o nome do filho, Antônio Carlos,
    mas ele nega. “Nunca tive razão para me apresentar com o nome do meu filho.
    Foi uma sacanagem que fizeram comigo”.

    —————————————————————————-
    —-

    Família de socialite quer construir padaria em Praça Pública
    Várias lojas e casas humildes se configuram como uma ocupação ilegal que a
    prefeitura luta para retirar, na Avenida Armando Lombardi, entrada da Barra,
    mas não consegue. Em 1997, o Mini-Mercado e o Pão Biruta, da família da
    socialite Vera Loyola, iniciou uma briga na Justiça para não perder o
    controle de parte do terreno, do município. A prefeitura quer desocupar para
    construir um parque. Já Vera pretende montar uma padaria. Outros ocupantes
    acabaram se associando à ação.

    O diretor de Patrimônio do Município, José Paulo Junqueira, conta que a
    confusão teve início nos anos 70, quando o terreno, da União, foi
    transferido para o município. Na época, os ocupantes pagavam taxas ao
    Governo federal. “Aquela área sempre foi planejada para ser um parque. Por
    isso, quando ocupantes tentaram regularizar a situação, a prefeitura não
    concordou. Quando o município resolveu implantar o parque, começou a briga
    na Justiça”.

    “Temos bom relacionamento com a prefeitura. Estamos esperando a decisão
    judicial. Talvez a gente tenha que ceder um pouquinho e eles também. Poderia
    ser uma praça, mas com um quiosque que a gente pudesse explorar. Se o Barra
    Point, que fica ao lado, teve autorização para construir, a gente tem que
    ter também”, rebateu Vera Loyola.

    —————————————————————————-
    —-

    O festival de irregularidades da região

    a.. Avenida Benvindo de Novaes 500 e 1001 (Recreio) – Aterro irregular,
    sem autorização do município, feito pelo empresário Pasquale Mauro, que
    pretende construir parque temático na área. Obra embargada judicialmente em
    janeiro, pela Coordenadoria de Meio Ambiente do MP. A licença ambiental
    concedida ano passado, pela Feema, para a construção foi anulada no começo
    deste ano. Há 10 dias, o MP ofereceu denúncia contra o ex-presidente do
    órgão, Eduardo Turano, por crime ambiental.

    b.. Ilha da Jigóia – Provocada por conflitos de legislação. A área é da
    União, mas, em 1981, decreto da prefeitura proibiu a construção de
    residências. Mesmo assim, várias obras continuaram sendo realizadas.

    c.. Invasões em Áreas Públicas – Boates Salsa e Merengue e Kananga do
    Hillo´s (Pontal) Favelas do Terreirão, Beira Rio, Fontela e Pantanal
    (Recreio dos Bandeirantes). Construções na Praia dos Amores (Barra).

    d.. Invasões em terrenos particulares – Estrada dos Bandeirantes , na
    Vargem Grande ( loteamentos clandestino) Avenida das Américas, atrás do
    restaurante A Mineira; Estrada do Itanhangá, em frente ao Canal de
    Marapendi.

    e.. Fla-Barra – Várias instalações foram levantadas sem autorização do
    poder público.

  105. “… Na primeira noite eles se aproximam/ e roubam uma flor de nosso jardim./ E não dizemos nada./ Na segunda noite, já não se escondem:/ pisam as flores,/ matam nosso cão,/ e não dizemos nada./ Até que um dia,/ o mais frágil deles/ entra sozinho em nossa casa,/ rouba-nos a luz e,/ conhecendo nosso medo,/ arranca-nos a voz da garganta./ E já não podemos dizer nada.”

    Em 14 de abril de 1930, aos 36 anos, Vladimir Maiakovski, o maior poeta russo da era contemporânea, deu um fim trágico à sua atormentada vida.

    Matou-se porque perdeu toda a esperança e se viu diante de uma estrada sem saída.

    Sua obra é absolutamente revolucionária, como revolucionárias eram as suas idéias.

    Mas o poeta, dizia ele, por mais revolucionário que seja, não pode perder a alma!

    Ele acreditou piamente na Revolução Russa e pensou que um mundo melhor surgiria de toda aquela brusca e violenta transformação.

    Aos poucos, porém, foi percebendo que seus líderes haviam perdido a alma.

    A brutalidade crescia. A impunidade era a regra. O desrespeito às criaturas era a norma geral.

    Toda e qualquer reação resultava em mais iniqüidades, em mais violência.

    Um stalinismo brutal assolou a pátria russa.

    Uma onda avassaladora de horror e impotência tomou conta de seu espírito, embora ainda tentasse protestar. Mas foi em vão. Rendeu-se e saiu de cena.

    Em 1936, escreveu Eduardo Alves da Costa o poema “No caminho com Maiakovski”, que resume sua desoladora tragédia.

    “… Na primeira noite eles se aproximam / e roubam uma flor de nosso jardim./

    E não dizemos nada./ Na segunda noite, já não se escondem:/ pisam as flores,/ matam nosso cão,/ e não dizemos nada./

    Até que um dia,/ o mais frágil deles/ entra sozinho em nossa casa,/ rouba-nos a luz e,/ conhecendo nosso medo,/ arranca-nos a voz da garganta./ E já não podemos dizer nada.”

    Nestes tristes tempos, muitos estão vivendo as angústias desabafadas neste poema. Também acreditaram em líderes milagrosos, tiveram esperanças em dias mais serenos, esperaram por oportunidades melhores e sonharam com paz e alegria. Nunca imaginaram que, em seu lugar, viriam a impunidade, a violência, o rancor e a cobiça. Os que chegaram ao poder, sem nenhuma noção de servir ao povo, logo revelaram a sua verdadeira face.

    O País está vivendo uma fase de completo e total desrespeito às leis.

    A Lei Maior, aquela que o País aprovou por meio de seus representantes, não existe.

    Para uns, todas as leniências. Para outros, todos as violências.

    Nas grandes cidades, dois governos, duas autoridades: a tradicional e a dos marginais.

    No campo, ausência de direitos e deveres.Uma malta de desocupados, chefiados por líderes atrevidos e até debochados, está conseguindo levar o desassossego e a insegurança aos milhões de trabalhadores rurais que ali se esforçam para sobreviver.

    Isso já vem acontecendo há muito tempo e não há sinal de que alguma autoridade pretenda submetê-los às penas da lei. Ao contrário. Eles gozam de imenso prestígio junto ao presidente, que não se acanha em lhes dar cobertura e agir com a maior cumplicidade.

    A ausência das autoridades tem sido o grande estímulo para que esses grupos, e outros que vão surgindo, venham conseguindo, num crescendo de audácia e desrespeito, levar o pânico aos que vivem do trabalho no campo.

    A mesma audácia impune garante também a expansão das quadrilhas de narcotraficantes em todo o País. A cada dia que passa eles chegam mais perto de nós. Se examinarmos com atenção os acontecimentos destes últimos dois anos, dá para entender o nosso medo.

    Quando explodiu o caso do Waldomiro Diniz, as autoridades estavam na obrigação de investigar tudo e dar uma punição exemplar. O que se viu? Uma porção de manobras para encobrir os fatos e manter os esquemas intocáveis. E qual foi a reação do povo? Nenhuma.

    Roubaram uma flor de nosso jardim, a flor da decência, da dignidade, da ética, e nós não dissemos nada!

    Quando, da noite para o dia, dezenas de deputados largaram suas legendas e se bandearam para as hostes do governo, era preciso explicar tão misteriosa adesão. O que se viu?

    Uma descarada e desafiadora alegria no alto comando do País! E qual foi a reação do povo?

    Nenhuma.

    Eles nem se esconderam. Pisaram em nossas flores, mataram o cão que nos podia defender.

    E nós não dissemos nada!

    Quando um parlamentar, que integrava a tal maioria, veio denunciar o uso de recursos públicos, desviados de forma indecente, com a conivência dos altos ocupantes do governo, provando que a direção do PT e do governo sabiam de tudo e de tudo se haviam aproveitado, qual foi a reação do povo? Nenhuma.

    Eles nem se importaram com o fato de terem sido descobertos. O mais frágil deles entrou em nossa vida, roubou a luz de nossas esperanças e, conhecendo o nosso medo, ainda se deu ao luxo de arrancar a nossa voz da garganta!

    Será que vamos aceitar? Não vamos dizer nada? Será que o povo brasileiro perdeu de vez a sua capacidade de se indignar? A sua capacidade de discernir? A sua capacidade de punir?

    Acho que não. Torço para que isso não esteja acontecendo.

    Sinto, por onde ando e por onde vou, que lá no mar alto uma onda de nojo está crescendo, avolumando-se, preparando-se para chegar e afogar esses aventureiros. Não se trata, simplesmente, de uma questão eleitoral.

    Não se cuida apenas de ganhar uma eleição. O importante é não perder a alma.

    O direito de sonhar. A vontade de viver melhor.

    Colocar este momento como uma simples luta entre governo e oposição é muito pouco.

    E derrotá-los, simplesmente, também é muito pouco, diante do crime que eles praticaram contra as esperanças de um povo de boa-fé.

    O que vai hoje na alma das pessoas é o corajoso sentimento de que é preciso vencer o pavor e o pânico diante da audácia dessa gente, não permitindo que eles nos calem para sempre.

    Se não forem enfrentados, se não forem punidos, se seus métodos e processos não forem repudiados, nosso futuro terá sido roubado. Nossa voz terá sido arrancada de nossa garganta.

    E já não poderemos dizer nada.

    Sandra Cavalcanti

  106. MEU DEUS EU QUERO GRITAR.ONDE GRITAR ?
    PRECISAMOS FAZER UM MOVIMENTO E IRMOS PARA AS RUAS GRITAR
    VAMOS GRITAR SOCORRO PRA VER SE DO OUTO LADO DO MUNDO ALGUEM ESCUTA. POR QUE AQUI TA CHEIO DE SURDOS.
    QUERO GRITAR GRITAR GRITAR.
    GRITAR GRITAR GRITAR
    ESTOU REVOLTADA DE VER ESSES CANALHAS BATENDO NOS PROFESSORES
    QUERO VOMITAR NELES

  107. Célia Pereira disse:

    Olá kátia!
    Infelismente…. só existem “LEIS” para certas pessoas!.
    Estamos sempre esbarrando com um ou outro que puxam o tapete daqueles que realmente trabalham e que procuram não viver na inércia ou dependencia de
    governantes. Esperando um “MILAGRE POLÍTICO”!.
    Que seje cada vez maior a sua força nessa luta,que no final é o retrato de cada um de nós injustiçados por esses políticos que só “lembram” do povo quando estam próximo as eleições,prometendo coisas que na realidade não fazem parte da vida deles como saúde(hospitais que parecem mais um carniceiros do que um serviço para população desprovida de plano de saúde,educação que cada vez se torna zerada deixando a ignorãncia se multiplicar.Mas enfim…. para que eles querem pessoas cultas????.
    Que Deus lhe de forças e ampare todos os seus dias de luta.
    Um doce bjo em seu coração.
    Um fraterno e caloroso abraço.

  108. Obrigada Celia, fique sempre por perto,denuncie todo dia para uma pessoa nova.Um dia a gente consegue.

  109. ergio disse:

    Olá,moro no Recreio e nosso prefeito está querendo fazer o mesmo conosco.Agora com a vitória das Olimpíadas,estamos rezando para que nada de ruim aconteça com nossa comunidade.Gostaria muito que todos vizitassem esse link.http://oglobo.globo.com/rio/rio2016/mat/2009/10/05/rio-2016-urbanista-sugere-que-vilas-olimpica-de-imprensa-fiquem-na-zona-portuaria-767926373.asp.Gostei muito em saber que você Kátia está enganjada em nossa causa.Estava presente na reunião que se realizou na Av.Gilka Machado 81 .

  110. Freddy Gondin disse:

    Se a atriz Kátia D’angelo encontra-se desempregada e o pai é vítima desse descalabro que atende pelo nome de INSS, onde está a tal Defensoria Pública para por em seus devidos lugares gente como esse tal Prefeito e outros que querem porque querem impor suas maledicências em prejuízo dessa atriz? Se fosse em Santa Catarina é porque não existe Defensoria Pública. No RJ existe e onde está ela? Está fazendo alguma coisa para garantir o direito de propriedade e a dignidade da atriz e de sua família? Como eu costumo dizer…a ditadura militar eu conheci de perto, mas a civil…essa é muito pior. Traiçoeira como uma cobra. E o resultado está aí para que todos vejam. Meu recado para a jovem Kátia D’Angelo é que não esmoreça, continue botando a boca no mundo e acione a Defensoria Pública. Ela existe para isso e os seus membros são pagos com o seu dinheiro para isso.

  111. truelove disse:

    Sempre fui fá da Kátia, e acho que ela é uma mulher batalhadora e corajosa, que merece ter seus direitos respeitados.

  112. Eu também fiquei na rua com meus 5 filhos e até hoje sofro com tudo isso mais temos que entregar na mão da justiça divina,porque Deus não dorme,e lebrar para o povo que 2012 ta chegando

  113. Rodrigo disse:

    Olá:

    Primeiramente, gostaria de mencionar que sou fã/gosto muito da veterana Katia D´Angelo!
    Uma atriz muito bonita, e que atuou em fortes produções…
    E fico triste (e por que não dizer REVOLTADO?) pelas situações que ela passou. Sem falar nas pessoas NÃO FAMOSAS que enfrentam tais coisas A TODO O MOMENTO!
    Parabenizo-a pela coragem de CORRER ATRÁS (e passar por situações de AMEAÇA!)…
    Também sou do Rio, e resido na capital gaúcha desde 1995. Confesso que aqui não é o ideal: embora o Rio esteja INSUPORTÁVEL… Se na época que eu morava aí (ou lá!) as coisas eram difíceis; imaginem agora!
    Sra D´Angelo, se leres esta mensagem – uma honra para mim! Espero que as coisas se resolvam para a sua pessoa (como para MUITOS TB!)…
    É isso.

    Rodrigo O Rosa (Porto Alegre)

  114. Erica disse:

    Sinto por todos que sofrem pelos abusos cometidos por pessoas que acham que estao acima de tudo.E muito facil querer cobrar agora os erros do passado,e colocar algumas pessoas como o bode espiatorio da sociedade egoista e capitalista.E muito facil mandar engenheiro na favela embargar nossas obras ou demolir ,sem ao menos dar o direito a dignidade ,sera que essa atitude vai ser a todos ? duvido. Tembem acho feio e desnecessario pessoas toda hora colocarem as comunidades como foco de tudo que a de ruim ,porque tudo o tipo de sofrimento tem que se abater sobre nos ,somos seres humanos que trabalhamos e pagamos imposto como qualquer um.Antes de falar alguma coisa pense que pessoas que nao tem nada haver com o assunto podem ser prejudicada por puro preconceito, antes de falar conheça uma favela que vera todas as qualidades que o povo de la tem.E assim alem de ajudar a quem voce gostaria , nao vai tirar o foco da sua luta.

  115. Paulo Valladares disse:

    Katia:

    A expressão com que termina o texto, ¨coração sangrando¨, traduz o sentimento de milhões de brasileiros, herdeiros que são das trincheiras penosas do errado e do certo, do mal e do bem, do pobre e do rico…
    Digo isso porque, como integrante dessa massa injustiçada, particularmente por ser professor do municipio do rio ( com minúscula e sem as insígnias da distinção! ), vejo-me presa de um sistema que impôs o descredenciamento e a negligência àqueles a quem desinteressa a participação real e efetiva na distribuição de renda.
    Sinto vergonha das ditas políticas públicas que, mais do que salvaguardar os historicamente afastados do entorno social, serviram pra criar falta de responsabilidade, de comprometimento etc, gerando doses abusivas de criminalidade que, hodiernamente, parece ter-se tornado o verdadeiro choque de ordem do milênio.
    Como professor da rede pública de ensino da atualidade,por exemplo, tenho direito às seguintes vantagens:
    - falta de condições físicas adequadas a um prédio escolar;
    - falta de relação adequada entre a infinita quantidade de projetos e sua possibilidade de implementação;
    - falta de um salário condizente com a formação e a exigência cada vez maior do profissional do ensino;
    - falta de segurança no ambiente de trabalho…
    Ao final de tantas benesses, resta agradecer a Deus por ainda estar vivo!
    Minha solidariedade!!!

    Paulo Valladares

  116. jorge disse:

    hoje, 26/04/2013 , foi feito uma denuncia sobre o sujeito que assassinou o seu filho , no disk-denuncia , investigue , ele se chama antonio carlos , tem uma amante de nome andreia com 3 filhos , ele levou uma garrafada na cabeça de seu filho na rua cobé em bangu numa briga e como fazia bico de segurança . Você já sabe o que aconteceu. Ele nunca foi policial , mais trabalhava pra um , Pedrinho que ja morreu…

  117. jorge disse:
    26/04/2013 às 20:17
    hoje, 26/04/2013 , foi feito uma denuncia sobre o sujeito que assassinou o seu filho , no disk-denuncia , investigue , ele se chama antonio carlos , tem uma amante de nome andreia com 3 filhos , ele levou uma garrafada na cabeça de seu filho na rua cobé em bangu numa briga e como fazia bico de segurança . Você já sabe o que aconteceu. Ele nunca foi policial , mais trabalhava pra um , Pedrinho que ja morreu…

    Jorge,aguardo seu contato,krebibout@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: